Qualificação na área da construção civil

Qualificação na área da construção civil

Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







segunda-feira, 21 de abril de 2014

Irmão de 17 anos do funkeiro MC Gui sofre parada cardíaca e morre em SP

MC Gui usou Instagram para lamentar a morte de Gustavo Castanheira que sofreu uma parada cardíaca
O DIA
São Paulo - O funkeiro MC Gui, de 15 anos, usou sua conta no Instagram para lamentar a morte do irmão Gustavo Castanheira, de 17 anos, nesta segunda-feira, em São Paulo. "Meu irmão, meu amor! O cara que eu mais amo nessa vida! Deus levou ele! Gente, por favor, me ajuda! Não sei o que fazer, meu irmão morreu. Te amo, Gu! Volta pra mim, mano!", escreveu.
MC Gui(à esquerda) lamenta a morte do irmão com foto e mensagem no Instagram
Foto:  Reprodução Instragram
Gustavo passou mal durante um churrasco com amigos e sofreu uma parada cardíaca. Ele chegou a ser levado para o hospital Municipal do Jardim Iva mas morreu por volta das 5h.
De acordo com comunicado divulgado pela assessoria do cantor, MC Gui soube da notícia quando voltava de três shows em Jarinu, Tatuí e Sorocaba, no interior paulista e se encontra com os pais e a irmã Stephanie, de 20 anos.
Segundo nota divulgada, "Gustavo deu entrada no hospital Municipal do Jardim Iva por volta das 4h30 desta segunda. As informações ainda estão bastante desencontradas. Segundo o que foi dito ao pai, Rogério da Silva Alves, Gustavo já chegou ao hospital sem vida, vítima de uma parada cardíaca, o que só poderá se confirmar após a autópsia. O corpo foi levado ao IML. No histórico de saúde de Gustavo nunca houve indícios de problemas cardíacos."

No turismo, o Brasil já perdeu a Copa

O executivo que comanda a rede hoteleira Accor no Brasil lamenta a falta de planejamento do governo para divulgar o turismo antes do início da Copa do Mundo

Creative Commons
Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro
Orla de Copacabana, no Rio: “O Brasil não vai explorar todo o potencial da Copa no turismo”, afirma Roland Bonadona:
São Paulo - Roland Bonadona é um francês que conhece como poucos o turismo brasileiro. Há 20 anos mora no país e comanda há quase uma década a ­Accor no Brasil, maior rede de hotéis no país, com mais de 30 000 leitos. Desde 2013, Bonadona acumula também a direção da rede para as Américas.

Para ele, a realização da Copa do Mundo seria a chance de ouro para ampliar significativamente o número de turistas que visitam o país anual­mente. “Infelizmente, não tivemos um time de especialistas que pudessem ajudar o Brasil a aproveitar todo o potencial da Copa”, diz. Confira a seguir trechos da entrevista.
1) EXAME - O que significa para o turismo de um país a realização da Copa do Mundo ou da Olimpíada? 
Roland Bonadona - São oportunidades únicas, e o potencial de ambos os eventos é enorme. A Copa do Mundo é a maior vitrine para o turismo que se pode imaginar.
Antes de o evento começar, a mídia internacional produz conteúdos sobre o país e suas particularidades. Durante os jogos, são centenas de milhões de pessoas absorvendo informações sobre o país.
2) EXAME - E o Brasil soube aproveitar? 
Roland Bonadona - Não. Quase nada foi feito para promover o turismo. O governo preferiu acreditar que o Brasil se venderia sozinho. Não é o suficiente. O país tem recursos naturais, cultura e talvez o maior número de locais tombados pela Unesco.
Mas estamos a 10 horas de voo das principais fontes de turistas do mundo, que são a América do Norte, a Europa e a Ásia. Há muitos países disputando a atenção dos turistas.
3) EXAME - O que foi feito?
Roland Bonadona - Foram construídos hotéis que vão modernizar o parque hoteleiro brasileiro. Os aeroportos melhoraram, ainda que estejam longe do ideal. Isso aumenta a qualidade da recepção aos turistas antes e depois dos jogos. Não podemos dizer que perdemos tudo, que gastamos uma fortuna e não seremos recompensados. Seremos, mas poderíamos ser muito mais. 
4) EXAME - Faltou planejamento? 
Roland Bonadona - A estratégia foi mal definida. Quem cuida da promoção do Brasil no exterior são a Embratur e o Ministério do Turismo. São dois órgãos que deveriam ter especialistas em promoção do turismo, mas não têm. O governo estava mais preocupado em controlar o preço de hotéis e de passagens aéreas. 
5) EXAME - Por que o turismo foi colocado de lado? 
Roland Bonadona - O Ministério do Turismo não é valorizado. A pasta é considerada irrelevante pelos políticos. Isso mostra que nem o governo enxerga o setor como importante. Mas nele há criação de empregos, investimentos e arrecadação de impostos.
6) EXAME - Quais países conseguiram um legado para o turismo com a Copa do Mundo?
Roland Bonadona - A Alemanha fez um belo trabalho. Promoveu o destino e a ideia de que os alemães são acolhedores. A França também soube impulsionar o turismo. De quebra, ambos conseguiram alavancar a autoestima da população.
7) EXAME - O que ainda pode ser feito? 
Roland Bonadona - Faltam cerca de 60 dias para a Copa. É muito pouco para fazer algo de grandes proporções. Agora o que resta é focar ações de marketing digital em redes sociais, como ­YouTube e Facebook. Não é algo que exige um investimento alto.
O objetivo deveria ser ampliar a permanência dos turistas que vão a uma cidade-sede para assistir a um jogo. Estimulá-los a chegar antes e a voltar depois.

Em Búzios, polícia prende traficantes suspeitos de ataques a UPPs no Rio

Piná, da Vila Cruzeiro, e 2D, do Alemão, foram levados à Cidade da Polícia.
Eles teriam ordenado ataques à Corrida da Paz, ao Afroreggae e em Niterói.
Lilian QuainoDo G1 Rio









A polícia prendeu nesta segunda-feira (21) dois suspeitos de articular os recentes ataques a Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs) no Rio. Bruno Eduardo da Silva Procópio, de 33 anos, conhecido como Bruno Piná e apontado como um dos chefes do tráfico na Vila Cruzeiro, e Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D do Complexo, de 26 anos, que estaria à frente do tráfico no Alemão, foram presos em Búzios, na Região dos Lagos, em ação da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, com apoio da Polícia Civil e da Polícia Federal.
De acordo com policiais, Piná e 2D ordenaram os ataques à Corrida da Paz, no Alemão, da qual participou o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, em 2013, e à sede do Afroreggae na favela, onde ficava a redação do jornal  "A Voz da Comunidade". De Búzios, no sábado (19), Piná também teria ordenado  que ônibus e carros fossem incendiados na Rodovia Amaral Peixoto, na altura do quilômetro 4, perto da comunidade do Caramujo, em Niterói, na Região Metropolitana.(Correção: O G1 errou ao publicar que Bruno Piná seria chefe do tráfico do Conjunto da Maré. O erro foi corrigido às 12h35.)
Informações sobre Duda D2 valiam R$ 1 mil (Foto: Divulgação / Disque-Denúncia)Informações sobre Duda D2 valiam R$ 1 mil
(Foto: Divulgação / Disque-Denúncia)
Os dois e mais um terceiro homem, levado para averiguação e cuja identidade não foi revelada, foram levados de helicóptero de Búzios para a Cidade da Polícia, em Bonsucesso, Zona Norte do Rio, onde chegaram por volta das 14h30.
'Sanguinários', diz delegado
“Temos informações de que eles eram bastante sanguinários e estavam envolvidos em ataques a UPP e em Niterói. Eles não resistiram à prisão, foram cumpridos os mandados sem darmos um disparo”, disse Carlos Eduardo Thomé, delegado da Polícia Federal. "Essas prisões foram fundamentais para a segurança da cidade", acrescentou.
A ação na Região dos Lagos contou com dois helicópteros e assustou moradores. O Disque-Denúncia oferecia R$ 5 mil pela prisão de Piná, uma das maiores recompensas já pagas. A recompensa pela prisão de Duda 2D era de R$ 1 mil. Piná tem seis mandados de prisão, dois deles por homicídio, e 2D tem três mandados, todos por tráfico. Eles faziam parte da quadrilha de FB e, depois da prisão dele, em 2012, ganharam mais força no controle do tráfico do Alemão, de acordo com a polícia.
Chega de de Piná e 2D, levados de helicóptero de Búzios para a Cidade da Polícia (Foto: João Laet / Agência O Dia / Estadão Conteúdo)Chegada de Piná (no alto, de camiseta azul escuro à esquerda) e 2D (sem camisa) à Cidade da Polícia
(Foto: João Laet/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)
Casa alugada por R$ 7 mil
Os suspeitos estavam em uma casa de luxo alugada por R$ 7 mil em Tucuns, ao lado de Geribá, em Búzios. Os dois  estavam lá com suas famílias para passar o feriado da Páscoa, segundo a polícia. A residência tem quatro suítes e os confortos típicos de uma casa de veraneio: churrasqueira e piscina. Policiais que monitoraram o movimento no local disseram que nem Piná nem 2D saíam da casa. Na garagem, havia um Corolla, um Onix e um Gol.
O imóvel foi localizado por volta das 5h desta segunda. Às 11h40, uma equipe de 15 agentes entrou na casa. Segundo Sérgio Sahione, da Inteligência da Secretaria de Segurança, 2D tentou fugir para um terreno ao lado, mas quando viu que estava cercado, se entregou. No local não foram encontradas armas ou drogas, mas havia uma quantidade de dinheiro calculada em R$ 9 mil, segundo os policiais.
Eduardo, o 2D, na chegada ao Rio (Foto: Lilian Quaino / G1)Eduardo, o 2D, na chegada ao Rio (Foto: Lilian Quaino / G1)
Ataques a UPPs
Desde o início de 2014, criminosos praticaram uma série de ataques a comunidades pacificadas.  Em janeiro, suspeitos atiraram um coquetel molotov contra a UPP do Alemão, no Conjunto de Favelas do Alemão. O artefato atingiu dois carros que estavam parados na frente do prédio. No fim de fevereiro, criminosos incendiaram um contêiner no Morro do Gambá, que fica no Conjunto de Favelas do Lins. Criminosos também atiraram contra a base da Camarista Méier, na mesma ocasião.
Traficantes foram presos em casa de luxo no bairro Capão, em Búzios (Foto: Bebeto Karolla / Folha de Búzios)Traficantes foram presos em casa de luxo em Búzios (Foto: Geovani Cândido/Folha de Búzios)
Também em fevereiro, a soldado Alda Rafaela Castilho, da UPP Parque Proletário, no Conjunto de Favelas da Penha, foi morta após ser baleada na barriga por criminosos, durante uma patrulha a comunidade. No mesmo mês, o policial Wagner Vieira da Cruz foi baleado na cabeça, na Vila Cruzeiro, também no Conjunto de Favelas da Penha, e morreu.
Cartaz do Disque Denúncia mostra recompensa de R$ 5 mil por Piná (Foto: Reprodução)Cartaz do Disque-Denúncia mostra recompensa de
R$ 5 mil por Piná (Foto: Reprodução)
Já em março, o subcomandante da UPP da Vila Cruzeiro, Leidson Acácio Alves Silva foi morto durante um confronto entre policiais e criminosos. No mesmo mês, policiais da UPP da Rocinha foram atacados a tiros.
Em março deste ano, criminosos atacaram simultaneamente as Unidades de Polícia Pacificadora de Mandela, em Manguinhos, e da Camarista Méier, no Conjunto de Favelas do Lins de Vasconcelos, no Subúrbio. Em Manguinhos, os suspeitos também atearam fogo a dois carros da Polícia Militar. Esses ataques levaram o governo do estado a pedir a ajuda das Forças Armadas ao Governo federal para auxiliar na pacificação do Conjunto de Favelas da Maré.
Quem são os criminosos
De acordo com o Disque-Denúncia, Piná faz parte do tráfico de drogas que age no Conjunto de Favelas da Penha e ainda gerencia alguns pontos de drogas naquela comunidade. Primo do traficante Luiz Fernandes Procópio Ferreira, o Escobar, Piná é apontado como o segundo homem na hierarquia no Complexo da Penha. Pelo Sistema de Cadastramento de Mandados de Prisão, há um mandado de prisão expedido pela 16ª Vara Criminal da Capital, pelo crime de associação ao tráfico.
Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D do Complexo ou 2D ou D2 ou Duda, de acordo com o Disque Denúncia, faz parte do tráfico de drogas que age no Complexo do Alemão e também integra o grupo de criminosos que recebeu ordens para abrir fogo contra as sedes e os policiais das UPPs e da 45ª DP (Alemão). Tudo autorizado por um dos criminosos mais procurados do Rio: Luciano Martiniano da Silva, o Pezão. Eduardo 2D gerencia parte dos pontos de drogas a mando de Pezão. Pelo Banco Nacional de Mandados de Prisão – CNJ – consta mandado de prisão expedido contra ele por tráfico de drogas.
  •  
Moradores acompanharam operação que aconteceu na manhã desta segunda (Foto: Bebeto Karolla/ Folha de Búzios)2D é levado por policial pelas ruas de Búzios (Foto: Geovani Cândido / Folha de Búzios)

Operação contra traficantes em Búzios assusta moradores. Suspeitos de serem autores de ataques contra as UPPs foram presos. Dois helicópteros foram usados na ação que aconteceu no bairro Capão.

Heitor Moreira
Do G1 Região dos Lagos 
Presos (Foto: Divulgação)Criminosos foram presos em casa de luxo no Capão, em Búzios (Foto: Giovani Cândido/Folha de Búzios) 
Uma operação conjunta entre Polícia Federal, Civil e Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública prendeu dois criminosos suspeitos de serem autores dos recentes ataques contra Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs) no Rio de Janeiro assustou moradores de Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (21). Bruno Eduardo da Silva Procópio, conhecido como Bruno Piná, é apontado como um dos chefes do tráfico na Vila Cruzeiro e Eduardo Luis Paixão, o Duda 2D, que estaria à frente do tráfico no Morro do Alemão, foram presos em uma casa de luxo entre os bairros de Tucuns e Geribá. Segundo os moradores, os policiais chegaram a trocar tiros com os suspeitos. Várias pessoas ficaram assutadas e correram para dentro das casas. Uma delas, que preferiu não se identificar, falou com o G1 sobre a ação.
''Foi uma correria danada. A gente não estava esperando, minhas crianças estavam brincando na rua. Fiquei desesperada quando ouvi os tiros e depois vi que dois homens saíram presos. Tudo acontecendo aqui, tão perto de casa'', disse.
Muitos moradores e turistas acompanharam toda a operação que aconteceu no bairro Capão, vizinho do bairro Geribá, conhecidos por terem grande número de casas de luxo. De acordo com o RJTV, foi de uma dessas casas que Piná ordenou os ataques a quatro ônibus e outros três veículos na Rodovia Amaral Peixoto, na altura do quilômetro 4, perto da comunidade do Caramujo, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, no último sábado (19).
  •  
Dois helicópteros foram usados na operação da Polícia Federal (Foto: Bebeto Karolla/ Folha de Búzios)Dois helicópteros foram usados na operação da Polícia Federal (Foto: Ana Julia Soares/ Folha de Búzios)
A operação contou com dois helicópteros. O Disque-Denúncia oferecia R$ 5 mil pela prisão de Piná, uma das maiores recompensas já pagas. De acordo com o Disque-Denúncia, Piná faz parte do tráfico de drogas que age no conjunto de favelas da Penha e ainda gerencia alguns pontos de drogas naquela comunidade. Primo do traficante Luiz Fernandes Procópio Ferreira, o Escobar, Piná é apontado como o segundo homem na hierarquia do Complexo da Penha. Contra ele, há um mandado de prisão expedido pela 16ª Vara Criminal da Capital, pelo crime de associação ao tráfico.
  •  
Ação aconteceu em parceria com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Polícia Civil (Foto: Bebeto Karolla / Folha de Búzios)Ação aconteceu em parceria com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Polícia Civil (Foto: Humberto Oliveira / Folha de Búzios)
População acompanha ida de equipe da operação para capital (Foto: Bebeto Karolla/ Folha de Búzios)População acompanhou ida de equipe da operação para capital (Foto: Ana Julia Soares Folha de Búzios)
Três presos chegaram na Cidade da Polícia, de helicóptero, por volta das 14h (Foto: Lilian Quaino / G1)Três presos chegaram na Cidade da Polícia, de helicóptero, por volta das 14h (Foto: Lilian Quaino / G1)

Pesca artesanal captura uma tonelada de cação em Arraial do Cabo

Pescadores ficaram surpresos com pesca de 18 cações de uma só vez. 
Turistas e moradores ajudaram na captura que aconteceu na Praia Grande.Heitor MoreiraDo G1 Região dos Lagos

Pesca foi realizada por pescadores locais com modalidade 'cerco' (Foto: Rafael Pádua/Arquivo pessoal)Pesca foi realizada por pescadores locais (Foto: Rafael Pádua/Arquivo pessoal)
Pescadores capturaram 18 cações na Praia Grande, em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (21). Os animais, que pesam aproxidamente 60 kg cada um, foram pescados durante uma pesca artesanal, com a modalidade chamada de 'cerco'.
Assim que os pescadores perceberam que tinham capturado uma grande quantidade de cação, turitstas e moradores ajudaram a puxar a rede com os animais. O 'cerco' foi feito a 300 metros da faixa da areia. Rafael Pádua, de 31 anos, é agente de turismo e estava no local bem na hora que os peixes caíram na rede. 
''Todo mundo na praia veio ajudar a puxar a rede. Já presenciei pescas parecidas com cações, mas há muito tempo não vinham tantos de uma vez só'', disse.
Muitos curiosos tiraram fotos dos animais que serão vendidos pelos pescadores para comércio local e peixarias da região.
Turistas e moradores registraram momento da pesca  (Foto: Rafael Pádua/Arquivo pessoal)Turistas e moradores registraram momento da pesca (Foto: Rafael Pádua/Arquivo pessoal)

domingo, 20 de abril de 2014

EcoArt Fashion Show vai agitar Cabo Frio neste Domingo de Páscoa. Arte reciclável em manifestação turística será atração na Praça Verde do Guta, na Praia do Forte








Exibindo Trabalhos em coco vao invadir a Praia do Forte.jpg


Exibindo Trabalhos em jornal também estarão na EcoArt Fashion Show.jpg

Neste Domingo de Páscoa (20/4), a Prefeitura de Cabo Frio, através da secretaria municipal de Turismo em parceria com a COMSERCAF promove desfile da Casa Artesanal, que irá exibir a importância do artesanato como fonte geradora de renda e fomento para o turismo e cultura local com trabalhos feitos com coco, semente, osso, alumínio e muito mais. 
O evento, nomeado EcoArt Fashion Show, começa a partir das 21 horas na Praça Verde do Guta, na Praia do Forte, com foco na arte dos recicláveis e inclusão social.
Idealizadora do projeto, a coordenadora do segmento artesanato da Secretaria de Turismo, Vânia Carvalho explica que uma das principais características do artesanato cabo-friense é o trabalho com materiais reciclados.
- Uma recente parceria firmada com a COMSERCAF vem transformando o coco descartado nas praias e nas lanchonetes em matéria prima para verdadeiras obras primas.  A fibra do coco já chega triturada para os artesãos que já começam a produzir trabalhos de encher os olhos -, esclarece Vânia, destacando que a intenção do projeto é mostrar ao público como os artesãos podem transformar peças que vão para o lixo, em verdadeiras obras de arte.
- Queremos com isso conscientizar as pessoas sobre a importância de não jogar lixo na rua e na praia, porque elas mesmas podem transformar aquilo que não tem mais uso em trabalhos maravilhosos. Além disso, pessoas com problemas de inclusão social, podem se tornar capacitadas para esse mercado de trabalho, através do artesanato reciclável. Por isso, hoje a Coordenadoria de Artesanato se empenha em realizar um evento que além de apresentar peças maravilhosas dos nossos artesãos, também trará esse foco na economia sustentável que pode amenizar tantos problemas. – afirmou Vania.
A coordenadora defende que a Prefeitura, através da secretaria de Turismo é a grande incentivadora desta nova maneira de fazer artesanato em Cabo Frio, onde o segmento se completa com a questão ambiental no momento que fomenta a economia sustentável. 
- Afinal, os turistas ficam encantados quando encontram peças feitas de material reaproveitado e resíduos naturais, agora em parceria com a COMSERCAF, que vai render muitos frutos depois dessa maravilhosa experiência.- disse. 
O ator, produtor e agenciador de modelos Soró Luiz, o DJ Xampu e as Amigas da Mama de Cabo Frio estarão apoiando o evento que fecha as comemorações pelo dia do Artesão. 
- No desfile, sete artesãos irão confeccionar as peças, mas na produção teremos a participação de 15 artistas. Os modelos têm ensaiado diariamente na Casa Artesanal, para apresentarmos o melhor. Teremos muitas surpresas. Vale a pena conferir e participar deste grande evento - profetiza a coordenadora. 
Exibindo ecoart show.jpg
Texto e Fotos: Telma Flora | Assessora de Imprensa da Secretaria Municipal de Turismo