Campos: operação policial termina com cinco presos

Tráfico de drogas no norte fluminense

Leandro Nunes / Ururau


A operação conjunta “Mil Grau” comandada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Ministério Público do Rio e Polícia Federal terminou nesta terça-feira (23) com a prisão de cinco homens acusados de comandar o tráfico de drogas em Campos dos Goytacazes e outros municípios do norte fluminense.
No sítio de um dos suspeitos, foram apreendidos quase 550 kg de maconha. Durante a operação, buscas também foram feitas na cadeia pública Dalton Crespo de Castro e no presídio Carlos Tinoco da Fonseca. De lá, segundo o MP, presos continuavam a comandar o tráfico de drogas na região.
De acordo com a investigação, a quadrilha, que tem pelo menos 30 integrantes, controla o tráfico e a distribuição de maconha, cocaína e crack em favelas de Campos e municípios como Bom Jesus do Itabapoana, Cardoso Moreira, São João da Barra e São Francisco do Itabapoana.
Segundo o MP, 19 prisões foram efetuadas ao todo, contando com os cinco presos desta terça e outras 14 que aconteceram ao longo da operação. Ainda de acordo com o MP, seis pessoas ainda estão foragidas. O objetivo da operação é cumprir 25 mandados de prisão.
Um dos foragidos seria motorista da prefeitura de São João da Barra, no norte fluminense. Segundo o MP, em 15 de março, ele utilizou um carro oficial para transportar cerca de 15 Kg de maconha. Após ser interceptado pela polícia, o motorista fugiu, deixando a droga no Rio Paraíba do Sul.
Em nota, a prefeitura de São João da Barra informou que o funcionário foi exonerado "suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e por quebra de confiança, pelo uso indevido e não autorizado de veículo oficial".

Comentários