Caso Ricardo Gama:

Vitima de intolerância política?

Fernando Peregrino
Presidente do Instituto Republicano do PR/RJ


Que Ricardo Gama é um militante social criativo e audacioso ninguém tem duvida. Mas será que ele despertou a intolerância política em nossa terra? Ricardo está sendo operado, estou ao lado de outro guerreiro Coronel Paúl no Hospital Copa Dor, todos acreditamos que ele se sairá bem, mas será que ele despertou a intolerância política e o uso de métodos criminosos para resolver divergências políticas. Ricardo exercia uma função jornalística destacada, então por que as instituições do setor não consideram um Atentado à liberdade de Imprensa? Ou elas só gritam para defender a liberdade de Empresa, e não de Imprensa como um todo. Será um recado? Podemos todos dormir tranqüilos de que as instituições de defesa da democracia estão em boas mãos?

Novidades sobre o caso Ricardo Gama

1. O estado de saúde do Ricardo Gama continua sob controle, em repouso, sedado durante essas 48 horas pós cirurgia. Continuemos pedindo a Deus pela sua saúde.
2. A chefe de Policia respondeu ao oficio do PR pedindo agilidade e alertando quanto ao caráter político do crime. No ofício de resposta disse-nos estar tomando as providências previstas na legislação. Aguardemos atentos. O crime é político, mas a investigação não pode ser.
3. O Coronel Paúl organiza um ato de protesto amanhã as 11 horas ,  em frente ao Palácio Guanabara, pedindo providencias para apurar o crime contra Ricardo. Todos os que puderem devem comparecer ao evento.

JORNAL O DIA
Blogueiro acusa: ‘queima de arquivo’
 Testemunha ouviu advogado gritar logo após ser atingido por quatro tiros em atentado em Copacabana. Vítima está no CTI.
Maria Inez Magalhães

Baleado quarta-feira a poucos metros de casa no Bairro Peixoto, em Copacabana, o advogado Ricardo Gama, mesmo ferido, ainda conseguiu se comunicar. Segundo uma testemunha, ele gritou duas vezes ‘queima de arquivo’ enquanto era socorrido.

Ricardo Gama  Foto: Reprodução da Internet
A frase seria referência às críticas pesadas a autoridades estaduais e municipais, policiais e milicianos que a vítima faz em seu blog. Antes de atirar, o criminoso chamou Ricardo pelo nome. De costas para o bandido, ele foi atingido por quatro tiros ao se virar para atender ao chamado. A Polícia Civil não falou sobre o caso e proibiu os policiais de passarem informações. A assessoria de imprensa da instituição se limitou a dizer que as investigações continuam. A família de Ricardo preferiu não comentar o caso.
O crime aconteceu na Travessa Moacyr Deriquem, que liga as ruas Santa Clara e Maestro Francisco Braga, no Bairro do Peixoto, onde o Ford Ka prata usado pelo criminoso ficou parado. Policiais da 12ª DP (Copacabana) foram ao local em busca de câmeras de segurança dos prédios que possam ajudá-los a identificar o criminoso.
Hoje, às 11h, haverá manifestação no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, promovida pelo ex-corregedor da PM, coronel Paulo Ricardo Paúl. Amigo da vítima, ele vai cobrar providências no caso. O deputado federal Garotinho (PR), partido pelo qual Ricardo foi candidato à Alerj, pediu à Câmara a criação de comissão para acompanhar o inquérito. Amigo do blogueiro e ex-candidato ao governo estadual, Fernando Peregrino encaminhou ofício à chefia de Polícia Civil e à Secretaria de Segurança pedindo agilidade nas investigações. A ONG internacional Repórteres Sem Fronteiras cobrou apuração urgente do ataque.

JORNAL EXTRA
Polícia busca imagens de atentado contra blogueiro baleado em Copacabana

Gabriel Mascarenhas e Antônio Werneck
Imagens das câmeras de dois prédios e de uma academia poderão ajudar a polícia a identificar a placa do Ford Ka prata usado pelo homem que tentou executar o advogado e blogueiro Ricardo Gama, na quarta-feira, no Bairro Peixoto, em Copacabana. A Polícia Civil não divulgou se já tem suspeitos do crime e está intimando comerciantes e moradores da região a depor. ( Delegado fala sobre as investigações do caso e não descarta tentativa de execução. )
Um morador do bairro Peixoto, que preferiu não se identificar, ajudou a socorrer Ricardo.
— Ele estava consciente e repetiu várias vezes: “'É queima de arquivo”. Não consegui ver quem atirou, apenas o carro, de vidros escuros, cantando pneu — contou o morador.
Ricardo Gama é filiado ao Partido da República (PR) e mantém um blog em que faz críticas ao governo do estado e à prefeitura do Rio. No último dia 13, ele publicou um texto revelando que estava sendo ameaçado por um policial por conta de posts sobre o ex-subchefe da Polícia Civil delegado Carlos Oliveira, preso, por suspeita de corrupção, na Operação Guilhotina, da Polícia Federal. Secretário-geral do PR, Fernando Peregrino enviou um memorando ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e à chefe da Polícia Civil, Marta Rocha, pedindo agilidade nas investigações.
Ricardo foi atingido por três tiros pela manhã, na Travessa Moacyr Deriquém, uma passagem entre as ruas Santa Clara e Maestro Francisco Braga. Um homem o chamou pelo nome, disparou quatro vezes e fugiu sem levar nada. A vítima, que ainda conseguiu ligar para a mulher e pedir socorro, está na UTI do Hospital Copa D’Or em estado grave, mas estável, sem previsão de alta.
Presidente da Associação de Moradores do bairro Peixoto, Marcos Vinícius Coutinho criticou a falta de policiamento na região e lembrou que os moradores ficaram assustados pela violência do atentado ao blogueiro, afirmando que, na hora dos tiros, a Praça Edmundo Bittencourt estava cheia:
— Era uma hora de pico na praça, onde às quarta-feiras há uma feira. É triste, o bairro é bucólico, sem violência.
Nesta sexta-feira, amigos de Ricardo farão uma manifestação em frente ao Palácio Guanabara para pedir providências a respeito do atentado contra o blogueiro.

Comentários