Maior transparência nas decisões dos partidos

OAB pede 

Presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcanti afirmou, nesta quinta-feira, que a reforma política precisa dar maior transparência e representatividade aos partidos políticos.
– Temos partidos que não respeitam os diretórios municipais ou estaduais, sua base não é ouvida. A reforma deve começar pela revisão da Lei Orgânica dos Partidos Políticos, cobrando deles mais transparência. Isso é fundamental para que possamos enxergar o partido como grande interlocutor entre a sociedade e o Parlamento. Só depois disso se poderia falar em lista fechada ou preordenada – disse.
O presidente da OAB participa neste momento de audiência pública da Comissão Especial da Reforma Política.
Durante a reunião, Cavalcanti disse que a decisão de o Senado e a Câmara dos Deputados terem comissões distintas para analisar a reforma política leva a sociedade a questionar a efetiva intenção do Congresso de realizar a reforma.
– A sociedade cobra (a reforma política), a presidente Dilma Rousseff cobrou em seu discurso de posse, os presidentes da Câmara e do Senado se dizem comprometidos, mas, no primeiro ato, as duas Casas lançam comissões separadas. Isso deixa o cidadão perplexo, mas tenho convicção que os parlamentares que assumiram nesta legislatura têm compromisso com a reforma política – disse.

Comentários