Rio terá Mais Emprego

Novo sistema permitirá ao trabalhador acessar vagas em tempo real

Os trabalhadores fluminenses poderão contar com uma nova ferramenta para o acesso aos serviços e programas de geração de emprego e qualificação profissional da Secretaria Estadual de Trabalho e Renda. O novo portal substituirá o Sistema de Gestão de Ações de Emprego (Sigae), que atualmente gerencia as 55 agências estaduais de Trabalho e Renda, distribuídas por todo o estado. A proposta é disponibilizar o programa Mais Emprego a partir de junho e será o meio mais fácil e dinâmico de inclusão ao mercado de trabalho.
Totalmente interativo, o novo sistema permitirá ao trabalhador, gratuitamente, inscrever-se para oportunidades do Sistema Nacional de Empregos (Sine-RJ), cadastra-se, obter informações sobre seguro-desemprego, elaborar currículo, solicitar a carteira de trabalho digital, informar-se sobre PIS/abono salarial e consultar, em tempo real, vagas disponíveis. Além disso, será possível sugerir a aplicação de cursos de qualificação profissional nos municípios.
De acordo com o secretário estadual de Trabalho e Renda, Brizola Neto, o novo portal irá democratizar o processo de intermediação de mão-de-obra no estado, já que será integrado às prefeituras, por meio das secretarias municipais de trabalho. O objetivo é tornar mais eficaz a política pública de emprego e renda do Governo do Estado.
- O sistema estava previsto para ser implantado no final do ano, mas solicitei a antecipação para este semestre. Vamos iniciar a capacitação de 100 servidores, que serão multiplicadores do conhecimento para todo o estado, além de promover reuniões com empresas e profissionais de RH do Rio de Janeiro – ressaltou Brizola Neto.
O secretário também considera o novo sistema mais acessível ao trabalhador, pois informa oportunidades de emprego em tempo real e o cidadão não precisará comparecer a uma das agências sem conhecimento da vaga condizente ao seu perfil.
Outro benefício do novo sistema é a ampliação da intermediação de mão-de-obra para quem solicita o seguro-desemprego. Ao mesmo tempo em que o trabalhador entrar com o pedido do benefício, o mesmo será encaminhado para vagas disponíveis condizentes com sua ocupação anterior. O trabalhador que recusar o novo emprego sem justificativa legal terá o pagamento do seguro suspenso, como previsto pela Lei nº 7.998/90, artigo 19. A lei também prevê que, caso o trabalhador seja convocado para um novo posto de trabalho e não atenda à convocação por três vezes consecutivas, o benefício poderá ser suspenso.
O Mais Emprego é desenvolvido e gerenciado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e já funciona em sete estados do país: Paraíba, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre e Minas Gerais. A previsão é que, até o fim de 2011, todos os demais estados já estejam com o novo sistema disponível.

Comentários