Scolari

Sindicato dos Jornalistas de São Paulo critica
O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo divulgou nota repudiando as ameaças feitas pelo técnico Luiz Felipe Scolari ao jornalista da Folha Rodrigo Bueno, autor de reportagem que comparava o salário do treinador do Palmeiras com as folhas salariais dos times que o clube venceu neste ano.
"Em entrevista coletiva, o treinador mostrou mais uma vez seu destempero", afirma trecho da nota.
"Convém salientar que o repórter apenas relatou o que os próprios dirigentes do Palmeiras já afirmaram inúmeras vezes em emissoras de rádio e de televisão", acrescenta a organização, que completa: "O sindicato não admite agressões e ameaças".
Na última quarta-feira, depois da vitória do Palmeiras sobre o Linense, em Barueri, Scolari afirmou que "se um dia acontecer alguma coisa", iria "buscar quem escreveu no inferno". E ressaltou: "É uma ameaça? Sim".
Anteontem, o Palmeiras divulgou, em seu site oficial, nota de repúdio ao jornalista e à reportagem publicada pela Folha.
Desde o ano passado, Scolari se queixa de os meios de comunicação citarem seu salário, de cerca de R$ 700 mil/mês. Argumenta que isso põe seus familiares em risco.
As declarações de Scolari e a nota divulgada pelo Palmeiras provocaram uma onda de ameaças de grupos de torcedores organizados do time a jornalistas da Folha por meio do Twitter, do Facebook e também de sites, blogs e fóruns de torcedores.
Procurado pela reportagem, o Palmeiras não quis se manifestar sobre o fato.

Comentários