O que rola nos blogs sa região sobre a Páscoa


BOA PASCOA !


Passagem




"Páscoa é ressurreição...E ressurreição é: Passagem... Mudança...Renascer...Passar é sair do lugar, da rotina...Mudar é transformar...Trocar uma vida gasta e empoeirada por um modo novo de ser e de viver..." (Andrea Matos, frases e páscoa)
                                                             A páscoa é muito mais...


"A páscoa é uma data que vai muito além do que o comércio prega em seus anuncios de ovos de chocolate e colombas pascais, a páscoa é uma época de reflexão, renovação e renascimento." (Luis Alves, frases de páscoa)
                                    Entender a páscoa


"De nada adianta Cristo morrer e ressuscitar se não entendemos por que ele fez isso." (autor desconhecido)

                                                            Páscoa é Amor, é amar



"Jesus veio a terra com uma única missão, salvar a humanidade, ensinar a fé e a salvação. Sua ação se baseou em apenas uma palavra e suas variações. Amor, amar, amou, amará, amarmos uns aos outros como ele nos amou." (Pedro Souzas, frases para páscoa)


0 comentários Links para esta postagem



Este ano – 2011 – a “Pessach” também conhecida como páscoa Judaica coincide com a páscoa Cristã, a duas festividades passaram a ser comemoradas em datas distintas, a partir da instituição do calendário Juliano com 365 dias, enquanto que o calendário Judaico ainda continua sendo o calendário lunar que segue as fases da lua – onde cada quatro fases correspondem a um mês, mas isto já é outro assunto. O que de fato queria dar a conhecer aos leitores é a diferença entre as duas festas. A judaica começou na terça-feira (19) e termina na próxima terça-feira (26) tendo, pois, a duração de uma semana ou uma fase da lua (minguante).
A seguir faço um pequeno resumo da história da “Pessach” que os Cristãos poderão conferir melhor lendo no Velho testamento o livro Êxodo. Independentemente da fé (ou falta dela) que cada um tenha, é uma história muito interessante – tanto que vários filmes e até desenhos animados foram nela baseados.


Pessach (do hebraico ???, ou seja, passagem), também conhecida como Páscoa judaica, é o nome do sacrifício executado em 14 de Nissan segundo o calendário judaico e que precede a festa dos pães ázimos (Chag haMatzot). Geralmente o nome Pessach é associado a esta festa também, que celebra e recorda a libertação do povo de Israel do Egito, conforme narrado no livro de Shemot (Êxodo).
De acordo com a tradição, a primeira celebração de Pessach ocorreu há 3500 anos, quando de acordo com a Torá, Deus enviou as Dez pragas do Egito sobre o povo do Egito. Antes da décima praga, o profeta Moisés foi instruído a pedir para que cada família hebréia sacrificasse um cordeiro e molhasse os umbrais (mezuzót) das portas com o sangue do cordeiro, para que não fossem acometidos pela morte de seus primogênitos.
Chegada a noite, os hebreus comeram a carne do cordeiro, acompanhada de pão ázimo e ervas amargas (como o rábano, por exemplo). À meia-noite, um anjo enviado por Deus feriu de morte todos os primogênitos egípcios, desde os primogênitos dos animais até mesmo os primogênitos da casa do Faraó. Então o Faraó, temendo ainda mais a Ira Divina, aceitou liberar o povo de Israel para adoração no deserto, o que levou ao Êxodo.

Como recordação desta liberação, e do castigo de Deus sobre Faraó foi instituído para todas as gerações o sacrifício de Pessach.
É importante notar que Pessach significa a passagem, porém a passagem do anjo da morte, e não a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho ou outra passagem qualquer, apesar do nome evocar vários simbolismos.
Um segundo Pessach era celebrado em 14 de Iyar, para pessoas que na ocasião do primeiro Pessach estivessem impossibilitadas de ir ao Tabernáculo, fosse por motivos de impureza, ou por viagem. .

BOA PÁSCOA OU PESSACH PARA TODOS!
Publicado em CRÔNICAS & ARTIGOS, ENSINAMENTOS da KABBALA, Geral | Deixar um comentário

Ele...a PÁSCOA VERDADEIRA!!!!

Por JUAREZ VOLOTÃO

Cristo...a PÁSCOA VERDADEIRA.

Ele que nos escuta...nos ouve
Ele que chora por nossos erros e faz festa pelos nossos raros acertos...
Ele que suportou ser traído,machucado,ferido...humilhado por quem Ele mais amou!!!
Se deu a um povo que o rejeitou...
Um povo que preferiu ao ladrão do que ao REI DE AMOR...
O mesmo povo que foi curado,liberto e salvo o crucificou naquele cruz...
Eu...eu mesmo responsável pela sua crucificação.
Mas ELE...
Ah...ele que perdoa de verdade...
Tão superior a mim...ainda diz na tua palavra que sou a sua imagem e semelhança...
Como?Tão imperfeito e sujo que sou...
Talvez nunca consiga de fato ser como o SENHOR...
Ele que escuta cada lamúria e rebeldia...
Que se cala quando quer nos ensinar a caminhar com as nossas próprias pernas...
Que se manifesta e faz valer sua autoridade de PAI e CRIADOR quando se levantam contra nós...
Que sabe,conhece e sonda nossos corações e que reconhece o quão falho somos,errantes em busca de acertos...
Um DEUS que se despiu de toda Honra e Glória para se fazer igual a nós e provar que o mais importante para Ele somos nós...
Que amor é esse?
Nunca amarei assim...
Nunca amaremos assim...
Um Pai amigo,presente(mesmo quando não o ouvimos)...
Um Pai que não nos abandona...
Um amigo presente e fiel...
Que enxerga em nós o que há de melhor e que nós mesmos já não enxergamos mais...
Não tinha nada a escrever nesse dia de PÁSCOA...mas tocado pela presença do DEUS todo poderoso,preciso declarar o meu amor e a minha paixão por ELE.
Ele,que recebe em meio a dor,a perda,o luto e a tristeza,toda a minha adoração...
Ele...a verdadeira PÁSCOA...
Toda luta,dor,tristeza,luto e ferida se torna pequena perto da vontade de adorar ao DEUS que é por mim...
Tudo fica pequeno,perto da real presença de CRISTO...
As vezes nem eu entendo...
Num misto de raiva,dor,desespero,luto constante...não sei de onde,brota dentro de mim uma força que vem do ALto e provém de CRISTO.


“Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” (Lucas 23.46).
Jesus, que perdera a conexão com o Pai, sentindo-se por Ele desamparado, agora restabelece o contato e ora.
Jesus é o mestre das histórias. Cada uma delas nos faz pensar em nossa própria vida.
Jesus é o mestre das parábolas. Cada um delas conta a nossa própria história.
Jesus é o mestre das metáforas. Nem mesmo na agonia, do Getsêmani ao Gólgota, ele abandonou as metáforas. Numa delas, ora: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” (Lucas 23.46)
Na verdade, não conseguimos falar das coisas mais importantes da vida sem o uso das metáforas. Não conseguimos falar sobre Deus, o Fundamento de nossa vida, sem o uso das metáforas.
Chamar Deus de "pai" é também uma metáfora, porque Ele não é um pai no sentido biológico da palavra.
Dizer que Deus tem "mãos" é uma metáfora, filha de nossa única maneira de falar dele, antropomorficamente.
Entregar o próprio espírito a Deus é afirmar-se pronto para morrer. Trata-se de uma metáfora da rendição, uma vez que Jesus lutou para viver ("passa de mim este cálice" e "por que me abandonaste?"). Agora, ele se rende à vontade do Pai e se apresenta pronto para morrer.
Jesus enfrentou o seu Getsêmane e dele saiu, vivo.
Jesus enfrentou o seu Gólgota e dele saiu, morto.
A história segue e ele sai vitorioso.
Também passamos pelo Getsêmane, mas, como o nosso lugar não é lá, somos dele libertados na sexta-feira.
Também passaremos pelo Gólgota, mas, como o nosso lugar não é lá, dele seremos retirados no domingo. No domingo da ressurreição.
ISRAEL BELO DE AZEVEDO

Comentários