Pode ser

IML ainda espera família de atirador para buscar corpo


O corpo de Wellington Menezes de Oliveira, que entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira e matou 12 crianças e adolescentes, continua no Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro.
Até o momento, nenhum parente compareceu ao IML para fazer a identificação do corpo e liberá-lo para o enterro. Caso ninguém libere o corpo até o próximo dia 22, Wellington será enterrado como indigente no cemitério de Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Há suspeitas de que os familiares de Wellington temem ser agredidos, caso resolvam efetuar o enterro.
 
 
 
Dilma determina aceleração do fim do sigilo eterno de documentos
classificados como ultrassecretos.

A presidente Dilma Rousseff ordenou que a base do governo acelere no Senado a aprovação do projeto de lei de direito de acesso a informações públicas, já aprovado na Câmara.
A ideia do Planalto é sancionar o texto no Dia Mundial de Liberdade de Imprensa, data celebrada anualmente em 3 de maio pela ONU.

Todo documento considerado sigiloso recebe um grau de classificação. Cabe à autoridade ou ao órgão que produziu o documento estabelecer o grau de sigilo.

No passado, o governo federal considerou sigilosos telegramas diplomáticos, documentos do período da ditadura e da Guerra do Paraguai, entre outros.

Hoje, documentos públicos classificados como ultrassecretos ficam em sigilo até 30 anos, mas esse prazo pode ser renovado indefinidamente. A política foi adotada pelos presidentes Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010).
 
Propostas para reforma política podem não sair do papel

A maioria das propostas de reforma política que foram entregues ontem (13) ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não deverá sair do papel. A exceção deverá ser a aprovação do fim das coligações nas eleições proporcionais.

Líderes de partidos aliados e de oposição consultados pela reportagem apostam que Senado e Câmara deverão restringir a reforma política à chamada "perfumaria", como a mudança da data da posse do presidente da República, governadores e prefeitos, sem mexer profundamente no sistema eleitoral brasileiro.


Estudo do Ipea avalia os aeroportos brasileiros

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulga nesta quinta-feira, a Nota Técnica Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações, na sede do Instituto em Brasília (Setor Bancário Sul, Quadra 1, Edifício BNDES/Ipea, auditório do subsolo).
Dado o atual cenário de crescimento da economia brasileira e os dois grandes eventos que ocorrerão nesta década, Copa do Mundo e Olimpíadas, foi realizada esta pesquisa a fim de se analisar o setor de transporte aéreo no país e identificar os gargalos que impedem o crescimento sustentável do Brasil.
O estudo apresenta o atual cenário de utilização dos aeroportos brasileiros. Para isso, foram comparadas a atual capacidade e o volume de passageiros nos terminais, a partir de dados da Infraero. Verificou-se também a viabilidade dos prazos previstos para a conclusão das obras planejadas pela Infraero para a Copa de 2014. A Nota avaliou ainda se o aumento da capacidade dos terminais para 2014, previsto no plano de investimentos da Infraero, será suficiente para atender à demanda estimada para 2014.
A pesquisa apresenta e analisa também os valores atualizados dos investimentos federais no setor aéreo entre 2003 e 2010, incluindo dados do orçamento fiscal e de investimentos das estatais (Infraero); além de avaliar o plano de investimentos futuros da Infraero.


 

Comentários