Alair Corrêa questiona julgamento antecipado do recurso de Marquinho Mendes

"Cartas marcadas, mais uma vez?"

Em seu blog 'Alair Corrêa Direto', o ex-prefeito de Cabo Frio e segundo colocado nas eleições de 2008, Alair Francisco Corrêa, informou ainda há pouco que  "o foguetório que todos, espantados, testemunharam esta tarde, foi promovido pelo governo da cidade".
- Comemoravam a absolvição do prefeito Marquinho Mendes no processo 309; absurdamente estranho.
Alair se refere ao processo que só será julgado amanhã, a partir de 16h, no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro.
- Sem qualquer preocupação em se expor, o prefeito reuniu seus secretários e anunciou a vitória. Todos acompanharam a eleição de 2008 e os crimes cometidos pelo então candidato. Da mesma forma, todos têm acompanhado minha grande luta nos tribunais, em busca de Justiça.
Alair Corrêa coloca para seus leitores que passou por momentos em que, atônito e perplexo, testemunhava o prefeito sendo absolvido em dezenas de processos julgados pelo TRE.
- No processo que será julgado amanhã, havia grande expectativa de todo o povo cabo-friense por uma verdadeira justiça. Entretanto, somos surpreendidos pelas comemorações antecipadas do réu. Assim, só nos restará continuar a luta pelo Direito, pela Justiça e pela dignidade dos nossos litígios. Estamos surpresos.
Consultamos diversos juristas e todos foram categóricos, afirmando que o prefeito não teria como se safar deste processo, em função de tantos crimes cometidos.
Para Alair Corrêa, caso se confirme a absolvição, deverá o TRE dar uma explicação ao povo cabo-friense.
- Essa festa de hoje, em que o réu antecipadamente se declara absolvido, mancha, definitivamente, as togas e as biografias daqueles que foram investidos na sagrada missão de promover e defender as leis. Resta-nos a esperança de que não seja verdadeira a motivação da festa, concluiu.


TRE-RJ julga prefeito e vice de Cabo Frio
Na sessão desta quinta-feira, dia 26, o Colegiado do TRE-RJ julgará o recurso de Marcos da Rocha Mendes contra a decisão que decretou a perda do mandato de prefeito de Cabo Frio e de sua vice, Delma Cristina Silva de Pádua. Na Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), o Juízo da 96º Zona Eleitoral também determinou a posse do segundo colocado nas eleições de 2008, Alair Francisco Correa. Marquinhos Mendes manteve-se no cargo graças a uma Ação Cautelar que garantiu a suspensão dos efeitos da sentença até o julgamento do recurso.
Mendes e Delma Cristina de Pádua são acusados de abuso do poder político e econômico e utilização da máquina administrativa. A chapa teria sido beneficiada pela edição de decretos, sem previsão orçamentária, dos programas transporte cidadão, alimentando cidadão, dentista 24 horas, compra solidária, café do trabalhador e academia popular. A chapa adversária, liderada por Alair Correa, impetrou a AIME com o argumento de que as medidas do prefeito teriam desequilibrado o pleito eleitoral de 2008.
Alvo de múltiplas ações que buscam a cassação de mandato, Marquinhos Mendes enfrenta o primeiro julgamento do tipo desde que o Colegiado do TRE-RJ consolidou, por meio de uma Súmula, a obrigação de que o vice-prefeito também conste do processo. “Há litisconsórcio passivo necessário entre os candidatos integrantes de chapa majoritária nas ações eleitorais que têm por objeto a cassação de registro, diploma ou a impugnação de mandato eletivo propostas a partir de 03 de junho de 2008”, diz a Súmula.

Comentários