Desastre em Cabo Frio

 Luiz do PT


O Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ) terá que explicar a origem do esgoto que é mostrado na foto de Ernesto Galiotto, de 2008. Terá que explicar a origem de uma língua negra que, neste ano de 2011, atingiu a Ilha do Papagaio, como testemunhado por um canoísta.

O Consórcio argumenta que o que acontece na Lagoa de Araruama, nas lagunas Cabo Frio e Maracanã e em praias na Região dos Lagos não é consequência do derrame de esgoto in natura no sistema de coleta de esgoto em tempo seco.

Talvez, como caso único de emissários submarinos, o que sai da boca de um dito cujo instalado em Rio das Ostras não termine por poluir as praias no caminho da corrente marítima.

            O CILSJ terá que explicar qual a origem dos coliformes fecais que foram encontrados pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA) nas praias e nas datas indicadas nos boletins que divulga. Das 44 praias listadas 24 estão interditadas e em 20 há a recomendação “Evitar o banho até 24 horas após chuvas”, inclusive a do Peró.

É impossível desmentir o depoimento de um canoísta que descreveu sua experiência em outubro de 2010: “Quando fiz a travessia de 42 km entre o centro de Araruama e a Ogiva, certamente não foi a passeio... Queria conhecer de perto como a lagoa está hoje... O risco de contaminação é iminente e visível. O odor em alguns pontos beira ao insuportável... em alguns pontos, estamos no esgoto "in natura".

O CILSJ terá que explicar o que se vê nas fotos enviadas em 25/05/2011, a este colunista, pelo fotógrafo Antônio Ângelo Trindade Marques com a seguinte nota: “Estas imagens foram feitas no domingo passado do mirante Américo Vespúcio, uma constante após Semana Santa. Envio outras do mesmo local e data para que possa usá-las como quiser”.

            Que o secretário-executivo do CISLJ explique essas coisas, sem confundir xingamento com juízo de valor.

            Parafraseando Ronald Reagan (“Sr. Gorbachev, derrube esse muro!”), Sr. Governador, feche esse Consorcio.  
 
 
 
 
 

Comentários