Eventos destacam Dia de Combate à Exploração Contra Crianças


Ag. Brasil
Eventos destacam Dia de Combate à Exploração Contra Crianças A carreata da Caravana Siga Bem foi um dos eventos que movimentou a Esplnada dos Ministérios, em Brasília.



O Brasil comemorou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Contra Crianças e Adolescentes, nesta quarta-feira – 18 de maio. A afirmação corresponde a série de eventos promovidos por diversas entidades em várias federações do país. Em Brasília, a presidente Dilma Roussef conversou com a rainha Silvia, da Suécia, que trabalha em ações voltadas para a promoção dos direitos da infância e juventude.

A Rainha Silvia participou, junto com a ministra Maria do Rosário, da Secretaria dos Direitos Humanos (SDH) do 1o Encontro Nacional de Experiências de Tomada de Depoimento Especial de Crianças e Adolescentes, promovido Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, para comemorar a data.

Na Esplanada dos Ministérios, onde se concentraram muitas comemorações, houve uma carreata da Caravana Siga Bem, patrocinada pela Petrobras e Iveco. Os veículos saíram do pátio em frente ao Estádio Mané Garrincha e, acompanhados por um trio-elétrico, percorreram toda a Esplanada. Autoridades como a ministra Maria do Rosário, fizeram parte da carreata. Depois da carreata, a Caravana Siga Bem promoveu diversos shows em tendas montadas em frente ao Congresso Nacional.

Também na Esplanada dos Ministérios, cerca de 1300 crianças participaram de oficinas e apresentações artísticas.

Ainda em Brasília, no Palácio do Planalto, o Executivo promoveu a solenidade de entrega do Prêmio Neide Castanha e o lançamento de um novo levantamento sobre as denúncias de exploração sexual contra crianças e adolescentes – a Matriz Intersetorial de Enfrentamento à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes -, elaborado pela Universidade de Brasília (UnB).

Também com a participação da ministra Maria do Rosário – uma das selecionadas para receber o Prêmio Neide Castanho -, autoridades da área e parceiros da Comissão Intersetorial de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, o Governo Federal apresentou o Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes revisado.

A programação prossegue nesta quinta (19), com o Seminário sobre Experiências de Legislação contra Castigos Corporais, com participação da ministra Maria do Rosário, da Rainha Silvia, da Suécia, e da apresentadora Xuxa Meneghel, porta-voz da Rede Não Bata, Eduque! na Câmara dos Deputados

“Caso Araceli”

Dados do Disque Direitos Humanos (módulo criança e adolescente), coordenado pela SDH, mostram que de março de 2003 a março de 2011, o Disque recebeu 52 mil denúncias de violência sexual contra este público, sendo que 80% das vítimas são do sexo feminino.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído por lei federal aprovada em 2000. A data marca o crime bárbaro que chocou o país em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), e ficou conhecido como o “Caso Araceli”.

Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta. Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. A intenção do 18 de maio é destacar a data para mobilizar e convocar toda a sociedade a participar dessa luta e proteger nossas crianças e adolescentes.

Ponto vulnerável

Em Foz do Iguaçu, na fronteira do Brasil com o Paraguai, motoristas e pedestres que passavam pela Ponte Internacional da Amizade, foram abordados nesta quarta-feira (18), durante a mobilização alusiva a data. O acesso ao país vizinho é considerado um dos pontos mais vulneráveis ao problema.

A mobilização reuniu cerca de 400 meninos e meninas atendidos pela Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), da Itaipu. O grupo entregou folders e outros materiais da campanha para quem passasse pela cabeceira da aduana, no lado brasileiro da ponte.

A mobilização, que tem como tema “Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescentes”, foi instituída pela Secretaria Nacional dos Direitos Humanos. O objetivo é incentivar a denúncia de crimes contra crianças e adolescentes, por meio do Disque 100.

Também em Foz do Iguaçu, existe o projeto Plugado!, uma parceria da Itaipu com a Casa do Teatro, que com um ano e meio de funcionamento recebeu o prêmio Neide Castanheira de Direitos Humanos, do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes.

Para Joel de Lima, da Diretoria-Geral brasileiro da Itaipu, é dever de todo cidadão denunciar crimes de maus-tratos contra crianças. “A sociedade tem que assumir esse compromisso nos casos de agressão e omissão da família”, reforça.

Serviço:
Se você sabe de algum caso de maus-tratos, pode fazer a denúncia através do Disque 100, ou ao próprio Conselho Tutelar pelo telefone (45) 3523-0023

Comentários