Irã libera jornalista da Al Jazeera ...

... que foi presa e deportada da Síria

Dorothy Parvaz foi acusada de viajar com passaporte vencido e sem visto profissional
 
A jornalista Dorothy Parvaz, que havia sido presa na Síria no fim de abril e deportada dias depois para o Irã, foi posta em liberdade nesta quarta-feira (18) e se encontra na capital do Qatar, informou a rede de televisão para a qual trabalha, a Al Jazeera.
 
Dorothy, com nacionalidades iraniana, canadense e americana, começou a trabalhar para a rede Al Jazeera no ano passado e se deslocara à Síria para cobrir os protestos políticos que se desenvolvem no país desde março.
A rede de televisão informou que a jornalista está em Doha, aonde chegou em um voo comercial do Irã, e indicou que pela primeira vez desde sua prisão pôde entrar em contato com seus familiares.
Dorothy foi detida ao chegar a Damasco, em 29 de abril, e dois dias depois acabou deportada para o Irã, de acordo com as informações da Al Jazeera.
Segundo as autoridades sírias e iranianas, a jornalista tentou entrar na Síria com um passaporte iraniano fora da validade e por isso foi extraditada para o Irã.
Nesta terça-feira (17), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, acusou Dorothy de ter cometido "várias infrações" e advertiu que seu país não reconhece a dupla nacionalidade.
- A correspondente iraniana da Al Jazeera cometeu várias violações. A primeira delas é que seu passaporte iraniano estava vencido. Além disso, não solicitou visto de jornalista e viajava com outros passaportes, o americano e o canadense.

Comentários