JB lança a revista 'Mãe' ...

... em formato 100% digital

O JB lança a revista ‘Mãe’, a segunda totalmente em formato digital publicada pelo jornal, incluindo  texto, fotos e vídeo. Editada pela colunista Heloisa Tolipan, ‘Mãe’ chega em um momento especial, quando o jornal comemora 120 anos mantendo o espírito de renovação. E este espírito não se limita ao conteúdo. No espaço destinado à publicidade, os parceiros do JB aproveitaram a nova tecnologia para exibir, em vídeo, parte de seus anúncios.
Com 90 páginas, ‘Mãe’ vem recheada de depoimentos e histórias de matriarcas, como Elza Maria de Oliveira, que, aos 89 anos, desce a Serra de Itaipava (dirigindo o seu fusquinha) para ver os dois netos e sete bisnetos, no Rio.
Já de Brasília, o leitor poderá conhecer um pouco da intimidade das mães Rousseff: Dilma, Dilma Jane e Paula, enquanto  em Canudos, no Sertão baiano, acompanhamos as mães do cinema (as irmãs Adriana e Cláudia Dutra, Viviane Spinelli e Flávia Guimarães), que fazem dos jovens da cidade verdadeiros cineastas. 
As mães da mídia também fazem parte da revista. Celebridades como Adriane Galisteu, Luiza Brunet, Ivete Sangalo e Cláudia Leitte, entre outras, não poderiam deixar de ilustrar as páginas desta edição vanguardista.
Menos conhecida que as celebridades, mas igualmente importante, também foi registrada em ‘Mãe’ toda a dignidade de Ana Maria Lopes da Silva, moradora de uma pequena casa próxima a Teresópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro. Seu cotidiano de luta e sofrimento funciona  como uma aula de persistência, cidadania e responsabilidade, qualidades que a fazem manter, sozinha, suas cinco filhas.
‘Mãe’ também foi ao Aterro Sanitário de Gramacho conversar com Alexandra Gomes Viana, que, graças à renda obtida com material coletado do lixo, criou todos os seus filhos tendo a perseverança como bandeira.
Cinquenta filhos
Nesta edição há também a mãe de 50 filhos, todos adotados e criados por Flordelis dos Santos de Souza, que ainda cuida de mais 230 no instituto que leva seu nome, na Região Oceânica de Niterói.
Uma outra face da maternidade abordada em ‘Mãe’ está em Laranjeiras, Zona Sul do Rio, mais especificamente na Maternidade Escola da UFRJ, repleta de casos de meninas de 14 anos que dão à luz bebês em um misto de perda da adolescência com a responsabilidade de ser mãe.
O amor de mãe e pai também está incluído revista. Como fica o sexo do casal após o nascimento do bebê? Quem responde é a sexóloga  Mariana Maldonado.
Já a inseminação artificial, tema sempre importante quando o assunto é a maternidade, é abordada com a ajuda da especialista Maria Cecília Erthal, do Centro de Fertilização Vida.
Heloisa Tolipan, com 27 anos de JB, lembra que em ‘Mãe’ estão inseridas não apenas aquelas que foram alvo das reportagens, mas todas as brasileiras que lutam para gerar, criar e educar seus filhos com tanta dificuldade num Brasil nem sempre justo.
“Nos créditos desta revista devem ser inseridos, simbolicamente, os nomes de todas as mães brasileiras, protagonistas do folhetim da vida real”, afirma Tolipan.

Comentários