Linha do Tempo Aflora

Aconteceu em
1º de maio
1886 - Dia da Solidariedade Internacional dos Trabalhadores
Começa greve de 800 mil em Chicago, EUA, pela jornada de 8 h. Dia 4, choque com a polícia deixa 38 mortos. Militantes são presos, acusados de atirarem bombas. Um se suicida na prisão, 4 são enforcados em 11/11/1887. A 14/7/1889 o 1º Congresso da Internacional Socialista fixa o dia como uma espécie de greve geral internacional pela jornada de 8 horas.
1916: capa
do jornal
A
Lanterna
1884:
Luiz Carlos de Lacerda funda o 25 de Março, jornal abolicionista radical de Campos, RJ. Prega a luta por todos os meios, inclusive ações armadas.
1890:
Deportadas para Fernando de Noronha as vítimas da ação de extermínio da capoeira no Rio.
1891:
Batismo de fogo do 1º de Maio, em Fourmies, França. O exército atira sobre multidão, mata 9 jovens, fere 60.
1892:
Conferência do Centro do Partido Operário, largo do Arouche, nº 4, S. Paulo.
1894:
Manifestação em S. Paulo frustrada pelas prisões de 16/4.
1895:
Ato no Centro Socialista (Santos, SP), do médico marxista Silvério Fontes.
1897:
Fundado o PS do RS.
1899:
Euclides da Cunha e Pascoal Artese lançam o jornal O Proletário, SP).
1903:
Passeata no Rio. A polícia conta 20 mil participantes.
1905:
1º ato de rua em S. Paulo. Em Jundiaí participam 5 mil pessoas.
1910:
O quinto 1º de Maio em Franca, SP, encena a peça "Gaspar, o serralheiro", pró-greves.
1915:
Grandes manifestações operárias internacionalistas declaram "guerra à guerra".
1918:
O escritor Lima Barreto defende a Revolução de 1917 no artigo "O ajuste de contas".
1919:
O maior 1º de Maio até então: 50 mil no Rio. Forte influência da Revolução Russa, apoio aos Sovietes na Guerra Civil.
1921:
Congresso da Internacional Sindical Vermelha, em Moscou.
1925:
Lançado o jornal A Classe Operária, órgão do PCB (na época com 300 filiados). Tiragem, 5 mil. Proibido na 12ª edição, inicia longa trajetória de perseguições e fases clandestinas, a mais longa da imprensa popular brasileira.
Trabalhadores
do Rio com
A Classe
1925:
Aé feriado pela 1ª vez no Brasil (por decreto de Bernardes, a 26/9/24).
1928:
O jornal A Classe Operária, fechado pela polícia em 25, volta a circular.
1928:
O jornal "A Classe Operária", fechado pela polícia em 25, volta a circular.
1931:
Proibida toda e qualquer comemoração da data. Várias prisões.
1935:
Congresso com 400 sindicatos de 11 estados funda a CSUB (Conf. Sindical Unificada do Brasil), desbaratada pela repressão no mesmo ano.
1936:
Preso o estudante Carlos Mariguela, 24 anos. Torturado 22 dias a fio, nada revela.
1939:
Vargas regulamenta a Justiça do Trabalho, criticada pelo patronato já na época (e alvo de forte ataque neoliberal nos anos 90).
1940:
Getúlio anuncia a lei do salário mínimo, em comício de trabalhadores no estádio do Vasco, Rio, na época o maior do Brasil.
1943:
O governo institui a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Pesada tutela da ação sindical, desde o tamanho das diretorias até a maneira de elegê-las. Proibição de toda ação política ou intersindical.
1946:
Dutra proíbe atos públicos no Rio. Tanques na praça Mauá e largo da Carioca.
1950:
Morta a tiro em Rio Grande, RS, a tecelã Angelina Gonçalves, 30 anos, ao retomar a bandeira do Brasil que a polícia tirara dos manifestantes.
Angelina
1954:
Getúlio, em seu último 1º de Maio, dobra o salário mínimo e diz aos trabalhadores, em Petrópolis: "Hoje estais com o governo. Amanhã sereis o governo".
1968:
Trabalhadores de S. Paulo jogam pedras no gov. Abreu Sodré, tomam o palanque da praça da Sé e fazem protesto contra a ditadura.
1970:
Preso em S. Paulo o militante operário Olavo Hansen, achado morto 7 dias depois.
1979:
Morre em acidente no mar o mais célebre torturador da ditadura, Sérgio Fleury. Fala-se em "queima de arquivo".
1980:
120 mil vão a S. Bernardo em greve, ocupada pela PM. Após horas de tensão em frente à Matriz, o governo cede. Uma triunfal passeata precede a manifestação no estádio da Vila Euclides.
1980:
120 mil vão a S. Bernardo em greve, ocupada pela PM. Após horas de tensão em frente à Matriz, o governo cede. Uma triunfal passeata precede a manifestação no estádio da Vila Euclides.
1989:
PT, PCdoB e PSB lançam no ABC a 1ª candidatura presidencial de Lula.
1994:
Morre na pista o ídolo brasileiro da Fórmula 1 Ayrton Senna. Seu velório (S. Paulo) reúne 1 milhão..
1997:
Votação no dúbio trabalhismo de Tony Blair encerra 18 anos da ultraneoliberal era Thatcher na Inglaterra.
1998:
A CUT inicia marcha de 15 mil a Brasília contra o desemprego.
2006:
Evo Morales, pres. da Bolívia desde janeiro, decreta a nacionalização do petróleo e gás, a maior riqueza do país. "Acabou-se o saque", proclama.
Evo ao
fazer o
anúncio

Comentários