Victor Viana em "Redes Sociais"


O fenômeno do mundo pequeno


imagem do site "Escola de Redes"
Venho dês do fim da década de 90 – talvez alguns mais abastados tenham percebido antes disso - tenho tido a impressão de que o mundo estava ficando menor e o tempo passando com mais velocidade. Como adolescente de interior ouvi de muitos a explicação religiosa - estava tudo na Biblia, me disseram - não me contentava com a resposta sempre absoluta da religião.

Começava-se a falar massivamente sobre globalização – de forma superficial citavam uma idéia de aldeia global - nos artistas se podia ver com mais clareza a extensão do fenômeno que nos noticiários, sempre tão atrasados em temas que não são palpáveis, e assim a TV começa a entrar desengonçadamente na internet que, ninguém sabia, viria para se tornar maior que a caixa de imagens coloridas de todos os dias.
Mesmo sem recursos eu ia dando um jeito de me conectar aos acontecimentos. E então caminhamos até o ponto em que a internet se tornou acessiva a todos de alguma forma. O mundo realmente se tornou pequeno. Quanto mais as pessoas vão se conectando, menor o mundo social se torna.
Nascem as Redes Sociais. Mas o que não tem seguido a expansão da web é a compreensão de que um monte de gente reunida não determina necessariamente uma sociedade. O ‘Social’ é o que está (existe) entre as pessoas. Uma verdadeira Rede Social se faz na interação entre as pessoas. As empresas; Igrejas, ONG, Site de relacionamentos, são apenas intuições e instrumentos; ferramentas para que se desenvolva uma verdadeira Rede Social, que só ser de pessoas. De outra forma não se tem “Social”.


Victor Viana no Twitter @curingabuzios matéria publicado originalmente em O Curinga de Búzios 

Comentários