Bombeiros viajam a Brasília para pressionar os políticos

Anistia dos bombeiros presos no Rio deve ser votada na Câmara dos Deputados nesta semana


A Câmara dos Deputados Federais deve votar nesta semana a anistia dos 439 bombeiros presos no Rio de Janeiro no dia 4 de junho, após a ocupação do Quartel Central. Segundo o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ) a votação será única e acontecerá no plenário. O projeto é uma emenda à lei federal 12.191, do ano passado, sancionada pelo presidente Lula e que anistiou policiais militares que participaram de movimentos de reivindicação salarial entre os anos de 1997 e 2010.

tabela-ajustada

Na última quarta-feira (22) a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou o projeto de lei que anistia os bombeiros. O autor do projeto, Lindbergh Farias (PT-RJ), argumentou que o objetivo da anistia aos bombeiros militares é atender “às expectativas da população do Rio de Janeiro e do país”.
- A situação dos bombeiros tem duas questões a salarial e a anistia. As famílias estavam mais preocupadas de seus filhos e maridos terem que enfrentar um processo judicial. Agora, podem respirar um pouco mais aliviadas. Acredito que a velocidade do senado se repetirá na Câmara, que deverá aprovar em 15 dias. Dependendo apenas da sanção da presidente Dilma.

O projeto foi aprovado em dez dias no senado. Segundo Farias, todos os partidos apoiaram a anistia para resolver o impasse entre bombeiros e poder público.

Como foi aprovada em caráter terminativo, a matéria segue para apreciação da Câmara dos Deputados uma vez que não precisará ser votada no plenário do Senado.

Viagem a Brasília
Um grupo de cerca de 450 bombeiros deve viajar para Brasília na noite desta segunda-feira (27). Segundo informações do cabo Benevenuto Daciolo dez ônibus sairão da Alerj (Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro) às 20h. A intenção é pressionar os políticos pela anistia.

Comentários