Cabral sanciona anistia e reajuste salarial aos bombeiros


Projeto foi aprovado pelos deputados estaduais na noite de terça-feira


Twitter Cabral

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, publicou em perfil no Twitter que sancionou na noite desta quarta-feira (29) a anistia administrativa dos 439 bombeiros e dos dois policiais militares, que foram presos após a invasão ao Quartel Central e a antecipação salarial de 5,58% para os bombeiros do Estado. O projeto de lei foi aprovado na terça-feira (28) pelos deputados estaduais.
Embora não estivessem mais presos, os militares ainda corriam o risco de ser punidos administrativamente. Com a anistia, os bombeiros e policiais militares não serão exonerados do cargo. Eles esperam agora a votação da anistia na Câmara dos Deputados Federais. O processo que ocorre na esfera militar é criminal, o que pode acarretar a prisão dos envolvidos caso a anistia não seja concedida pelo Congresso. Porém, se forem anistiados também em Brasília, o processo judicial contra os bombeiros será suspenso e, na prática, é como se eles nunca tivessem cometido qualquer crime.




Além do reajuste salarial a Alerj aprovou também o projeto de lei que permite o uso do Funesbom (Fundo Especial do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro) com despesa de pessoal. O fundo é fruto do recolhimento de taxas de incêndio, pagos pela população. O projeto também foi sancionado pelo governador.

Ainda nesta quarta-feira, Cabral admitiu que errou ao chamar de vândalos os bombeiros que ocuparam o Quartel Central e afirmou que as duas partes cometeram erros. As declarações foram feitas em entrevista à Rádio CBN.

Comentários