Central do Brasil vai virar ponto ...

... turístico

A ilustração mostra como ficará a Central do Brasil

Entre as novas medidas de melhoria no sistema ferroviário da SuperVia, anunciadas ontem (14), está a reforma da estação da Central do Brasil. O presidente da concessionária, Carlos José Cunha, disse que pretende transformar a famosa estação num ponto turístico importante, já tendo em vista o grande fluxo de turistas que estarão na cidade nos próximos eventos esportivos.
Segundo o projeto, a Central terá a fiação elétrica  embutida, mármores limpos, lojas padronizadas e banheiro gratuito já em agosto. A reforma da estação pretende trazer, em curto prazo, mais conforto e rapidez para quem usa o trem.
Novas máquinas terão condições de lavar um trem a cada 15 dias. Atualmente, os trens são lavados a cada 40 dias. Todas a 98 estações sofrerão reformas, ganhando coberturas para que o passageiro não sofra com o sol e a chuva.

A partir desta quarta-feira, na Central do Brasil, os usuários dos trens da SuperVia não terão mais que se aglomerar junto aos monitores para saber em que plataforma o trem vai passar, já que começará a ser testada a fidelização da plataforma, o que significa que cada trem passará sempre pela mesma plataforma.
Agentes da SuperVia irão orientar os passageiros sobre a novidade,acabando com a ansiedade do passageiro que fica procurando por seu trem.
Em setembro, os trens passarão a operar em intervalos de tempo, em vez de horários fixos, dando uma característica metroviária ao serviço. Um novo sistema de sinalização automatizado poderá reduzir o intervalo entre os trens em até 50%. Atualmente, é o maquinista que para o trem no sinal vermelho, mas com o ATP – Automatic Train Protection – o trem parará automaticamente ao passar no sinal vermelho.
Até fevereiro já terão chegado da China oito dos 34 trens comprados pelo governo do Estado, todos com ar-condicionado e câmeras internas para segurança. Outros seis trens em uso serão reformados com reforço no sistema de ar-condicionado. O investimento no transporte chega a R$ 2,4 bilhões.
As melhorias passam pelo aumento da frota e de sua idade média. A frota atual é de 160 trens com idade média de 35 anos; em 2014, serão 191 trens com idade média de 16 anos, todos com ar-condicionado.

Comentários