Comércio antecipa promoções de inverno para aproveitar frio

Descontos são saídas para lojistas que sofrem com alta nos preços do algodão e inflação


Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE
Lojistas aproveitam semanas de frio intenso para aquecer vendas as coleções de inverno

O inverno só chega oficialmente no próximo dia 21, às 14h16. Mas mesmo diante do frio intenso das últimas semanas o bolso do consumidor pode ser poupado. Há maneiras de não gastar muito dinheiro para se manter aquecido. Aproveitando a demanda por artigos de inverno, os lojistas têm apostado nas promoções em plena temporada.
 
Giselli Souza

Como a estação é curta no Brasil, os comerciantes tentam aproveitar ao máximo as semanas prolongadas de frio e, com isso, vender mais e zerar o saldo negativo nos estoques. Isso ocorre porque grande parte deles decidiu não repassar ao consumidor a alta no preço do algodão e a inflação.

A “jogada” faz com que tanto o consumidor quanto o lojista se deem bem, já que com preços mais em conta, a tendência é que o volume de vendas seja maior, como explica Marcel Solimeo, da Associação Comercial de São Paulo.

- Alguns produtos subiram muito de preço e a saída para o lojista tem sido arcar com parte do aumento. Até os cobertores sintéticos estão sendo vendidos mais baratos para aproveitar o frio intenso. Cada um quer aproveitar ao máximo a deixa para conseguir vender mais e ganhar em volume.

A alta no valor do algodão, de 115% nos últimos seis meses, aliada à inflação geral de preços, ajudaram a deixar quase tudo mais caro neste inverno. Como as roupas de frio tradicionalmente são mais "salgadas" , devido a maior utilização de matéria-prima, resta sempre ao consumidor a tarefa árdua de pesquisar e, às vezes, adiar a compra para agosto – historicamente o mês das liquidações.

Neste ano, o vestuário acumula uma alta de 7,94% nos últimos 12 meses, ou seja, acima da inflação geral, que está em 6,55%, no mesmo período, de acordo com o último levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgado em maio. Os homens são os que devem sentir mais os efeitos do clima frio no bolso, uma vez que as roupas masculinas subiram mais de preços que as femininas, 7,88% e 7,44% respectivamente.
Olho na vitrine
Quem quiser pagar menos e comprar roupas da moda deve caminhar. A tendência neste inverno é que os lojistas usem as vitrines das lojas como “chamariz” para o consumidor se sentir tentado a reformar o armário. Para isso, a saída é a promoção de algum produto com pouca procura ou de valor mais alto.

Segundo Luís Augusto Ildefonso, diretor de relações institucionais da Alshop (Associação dos Lojistas de Shopping), alguns artigos de lã às vezes costumam estar pela metade do preço, como paletós e calças.

- O lojista usa o chamado “boi de piranha”. Ele põe a promoção na vitrine para colocar o cliente dentro da loja. É nessa hora que ele se sente tentado e acaba levando algum outro produto com preço normal. É uma saída inteligente, pois permite que o comerciante evite ficar com o estoque cheio.

O financiamento, mesmo em tempos de juros altos, entra como opção nesse momento. Como as roupas costumam ser mais caras, os lojistas têm apelado para parcelamentos de longo prazo, no cartão e no cheque, para não perder a compra. Com tantas artimanhas, a previsão é que as vendas cresçam cerca de 10% frente ao inverno passado, segundo a Alshop.

Comentários