‘Dilma me confiou uma missão’


gleisi_senado_celso_junior_ae_08062011_600.jpg

Foto: Celso Junior/AE

Gleisi Hoffmann despede-se do Senado

A nova ministra da Casa Civil, a senadora Gleisi Hoffmann, afirmou que Dilma “lhe confiou uma missão” e negou ser “um trator”  – “não considero essa a melhor metáfora” – na sua forma de fazer política. Ela afirmou ainda que, ao longo de seus cinco meses no Senado, prevaleceu “a convivência democrática”. Gleisi fez breve discurso – que leu em seu Ipad  – nesta quarta-feira no plenário do Senado, do qual se despede para assumir o lugar de Antonio Palocci no Exectuivo. Em seguida por pouco mais de uma hora, outros senadores se revezaram em elogios e votos de sucesso à nova ministra.
por Jose Orenstein
Nomes da oposição, no entanto, como Aécio Neves, do PSDB, e Demóstenes Torres, do DEM, ressaltaram que falta ao governo um maior diálogo com a minoria. “Na democracia, tão importante quanto a maioria é a oposição. Vossa Excleência vai encontrar aqui uma oposição firme”, afirmou o líder mineiro. As mulheres da Casa saudaram o fato de ela ser o décimo nome feminino no ministério de Dilma, que foi também elogiada por ter escolhido alguém do Congresso para assumir um dos postos mais improtantes do governo. Ao longo das falas dos senadores, que mantiveram o tom positivo em suas palavras, Gleisi agradecia dizendo “amém”.

Leia abaixo os principais momentos de seu discurso no Senado:
14h32 – Hoffmann começa discurso no Senado
14h34 - Gleisi faz agradecimento: “Sou grata de forma muito especial ao presidente José Sarney, que desde o início me acolheu com simpatia, ao líder da bancada Humberto Costa, ao líder do governo Romero Jucá, aos membros da mesa e da base de governo.”
14h36 - “A presidente me confiou uma missão”, afirma Gleisi, que lê o discurso em iPad. Ela em seguida elogia Dilma e diz acreditar no projeta da presidente
14h37 – “Todos foram adversários duros no debate, mas prevaleceu a convivência democrática”. Sobre ser considerada um trator, Gleisi diz: ” Não considero essa a melhor metáfora para alguém que quer fazer política na democracia”.
14h38 - Gleisi já encerra o seu discurso no plenário, justificando-se a seus eleitores. “Meu afastamento do Senado não me afasta do caminho que escolhi”. E lê um verso de uma escritora paranaense:  “Deus dá a todos uma estrela, uns fazem da estrela um sol, outros nem conseguem vê-la. Quero estar no primeiro grupo”.
14h39 - O senador Fernando Collor faz um aparte elogioso à senadora Gleisi Hoffmann. Em seguida, Vanessa Grazziotin se diz orgulhosa de ter uma mulher no comando da Casa Civil: “O Brasil ganha muito com escolha de Vossa Excelência à Casa Civil”
14h44 - O senador Aécio Neves, do PSDB, faz discurso elogioso a Gleisi, mas critica a posição da base governista de não ouvir a minoria: “Na democracia, tão importante quanto a maioria é a oposição. Vossa Excleência vai encontrar aqui uma oposição firme”. Gleisi agradece: “Vou sentir muita saudade de debater com Vossa Excelência, mas hoje não vou contraditá-lo”
14h46 - Senador Acir Gurgacz cumprimenta Gleisi e ainda pede uma atenção especial aos projetos de Rondônia para quando ela assumir a Casa Civil. Walter Pinheiro, em seguida, senador pelo PT da Bahia, se aventura em despedida poética: “A hora do encontro também é a hora da despedida”, afirma.
14h49 - Ivo Cassol elogia também Gleisi por sua combatividade em debates no Senado com a oposição. “A senhora vai ocupar um dos ministérios mais importantes. Com certeza Dilma está ganhando muito com a senhora. Aqueles que falaram que a senhora tem pouca experiência política, é dor de cotovelo”. Assim com Gurgacz, pede atenção para os projetos de transposição em Ronsônia.
14h51 – Francisco Dornelles, do PP do Rio, faz breve aparte desejando boa sorte a Gleisi. João Pedro, do PT de Amazonas, elogia Dilma pela escolha da nova ministra. Deseja uma “gestão exitosa em um ministério tão estratégico”.
14h55 -  O senador Paulo David saúda Gleisi e em seguida Ana Amélia, da base governista e que havia assinado pedido de CPI para investigar Palocci, elogia a escolha de Dilma e deseja sorte à nova ministra.
14h57 - Delcídio Amaral afirma que Gleisi “é um dos melhores quadros do Partido dos Trabalhadores”. Demóstenes Torres, do DEM, assume a fala em seguida e ressalta: “Vossa Excelência viu a importância do diálogo. Não é só nas crises que o governo deve ter interação com setores da oposição. Tenha certeza que quando nós a procurarmos o faremos de forma republicana. Admiro sua competência – gosto de pessoas inteligentes, firmes. Não precisa ter a mesma opinião, nós temos opiniões frontalmente opostas. Hoje disse que a senhora é ‘esquentadinha’, mas eu também sou. O êxito de Vossa Excelência será o êxito do Brasil”.
15h02 - “Quando tomei a surpresa pensei em ligar para Dilma para reclamar de tirá-la aqui do Senado. Mas agora estou convecido de que foi uma grande escolha”, diz Cristovam Buarque que em seguida convida Gleisi a ‘vir tomar um cafezinho no Senado’ e a conversar com a oposição – além de pensar pontos políticos suprapartidários.
15h05 - Wellington Dias, do PT do Piauí, pede a Deus que abençoe Gleisi. Ela responde com “amém”, assim como fez durante os discursos e votos de boa sorte feitos por outros senadores no plenário.
15h07 – Randolfe Rodrigues, do Psol, diz que Gleisi é ótima expressão da “síntese guevarista”, por aliar ternura e firmeza na sua postura política, em referência a Che Guevara. O presidente do Senado José Sarney, alerta: “Se não formos breves, vamos impedir a posse da ministra”.
15h10 – Marta Suplicy se diz orgulhosa de Gleisi. “Vai ser uma enorme contribuição para o Brasil. Parabéns a Dilma por nomear hoje a décima mulher nos ministérios”. Humberto Costa revela que trocou torpedos com Gleisi na última semana, em que se dizia orgulhoso de tê-la na bancada do PT do Senado. “Lá na Casa Civil Vossa Excelência vai dar um show de bola”.
15h14 – O senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB, faz coro com os outros parlamentares: ” O Senado perde com sua saída, a Casa Civil ganha muito com a sua chegada”. Romero Jucá tem a palavra em seguida e também parabeniza Gleisi e pede “olhar especial para a Amazônia”.
15h18 – Lindbergh Farias, do PT, discursa: “Vossa Excelência não tem nem 5 meses de mandato, passou por aqui como um furacão, como uma estrela. O desafio agora é dar visibildade aos projetos de política pública. É hora de dialogar com o povo, com a sociedade. A função da senhora é de gestão, não de articulação política.”
15h20 - Renan Calheiros, do PMDB, dá o recado de seu partido, maior aliado do governo que vinha entrando em atrito com Dilma nos primeiros meses do ano. “A expectativa de todos nós do PMDB é a melhor possível sobre seu trabalho na Casa Civil. Conte com o apoio do PMDB incondicional, Com a sua nomeação ganhou o governo, ganhou a presidente Dilma. Gleisi agradece”.
15h24 – Jorge Viana, do PT, é o primeiro a mencionar Antonio Palocci “um grande líder que cai ferido”. Em seguida diz que o Brasil está em boas mãos com Dilma e Gleisi Hoffmann na Casa Civil”.
15h29 – O senador Eduardo Suplicy também menciona a dificuldade na saída de Palocci, mas elogia a escolha por parte de Dilma de Gleisi Hoffmann para substitui-lo na Casa Civil. Fala ainda de Paulo Bernardo, marido de Gleisi e ministro das Comunicações. Ana Rita, do PT, tambem a cumprimenta e elogia o fato de ser mais uma mulher no governo.
15h32 – Agripino Maia, do DEM, alerta que Gleisi assume em um momento difícil. “É muito importante em regime democrático o respeito entre governo e oposição”, na linha de outros senadores de oposição que já falaram no plenário do Senado. O discursos e homenagens a Gleisi já completam uma hora. A sua posse na Casa Civil, prevista para as 16h deve atrasar.
15h35 – Mario Couto do PSDB também pede um maior diálogo do governo com a oposição. ” O grande nó está nas medidas provisórias. Traga para si a conversa com a oposição, com o senador Aécio Neves. Se o fizer, tenho certeza que teremos um melhor relacionamento. Meus parabéns”
15h38 – O senador Clésio de Andrade afirma: “Mesmo nós da base do governo termos que reconhecer que o governo passa dificuldades em seu diálogo com o Congresso e dificuldades com a máquina. Ninguém melhor que a senhora para assumir nesse momento”.
15h40 – Casildo Maldaner do PMDB também parabeniza Gleisi e alerta, “a senhor vai ter que muitas vezes bancar a dama de ferro”. Inácio Arruda, do PC do B, pede atenção à coalizão com seu partido em nome de uma pauta de esquerda no governo.
15h43 - Gim Argello, do PTB, se diz orgulhoso de ter convivido com Gleisi no Senado, e ainda afirma que os parlamentares aprenderam a admirá-la or, entre outras coisas, “sua beleza exterior e interior”.
15h46 – Sarney pede aos senadores sejam brevíssimos em suas palavras a Gleisi Hoffmann, “uma vez que pode parecer que o Senado está obstruindo a posse da nova ministra”. O plenário responde com risos. A posse está prevista para as 16h  desta quarta-feira no Palácio do Planalto e deve atrasar.
15h52 - O senador Pedro Simon diz que a escolha de Gleisi “não poderia ter sido mais feliz”. “Vossa Excelência foi a que mais se identificou nesses cinco meses na defesa do governo. A imprensa diz que a senhora é a ‘Dilma da Dilma’, e parece adequado. A ministra Dilma marcou o governo de Lula, acho que a senhora tem todas as condições de repetir isso”, diz o parlamentar do PMDB.
15h56 – Gleisi Hoffmann enceerra sua participação no Senado em discurso de agradecimento: ” Me senti muito honrada pela presença dos senadores nesta Casa hoje. Eu levo Senado comigo, tenho responsabilidades de gestão mas sei que as avaliações políticas são fundamentais para o nosso sucesso.”  José Sarney complementa os elogios a Gleisi e suspende a sessão para que ela possa receber cumprimentos no plenário.

Comentários