Homens do Espírito Santo ficaram 20 dias à deriva no mar


Quatro dos seis pescadores resgatados continuam internados; onda gigante teria provocado avaria

Resgate pescadoresJoão Pedro Lazanha / R7
Pescadores chegaram no Rio e receberam atendimento imediatamente

Pedro Gílson, dono do barco Willamar 3, onde estavam os seis pescadores do Espírito Santo que foram encontrados em Santa Catarina, na noite de segunda-feira (27), depois de mais de 20 dias perdidos no mar, disse que uma onda gigante foi a responsável pela embarcação ficar à deriva. Ele explicou que a onda causou uma pane elétrica, que destruiu os equipamentos da embarcação. Gílson esteve na manhã desta quarta-feira (29) com os pescadores e eles contaram como foi o acidente.
- Eles falaram que a onda era tão forte que chegaram a pensar que era um navio que tinha batido neles.
Na hora do acidente, os pescadores estavam a 112 km da costa de Cabo Frio, na região dos Lagos do Rio de Janeiro (mais que a distância entre o Rio de Janeiro e Saquarema, também na região dos Lagos, que é de 108 km).


Segundo Gílson isso teria acontecido entre os dias 6 e 7 de junho, quando o mar estava de ressaca. Essa informação confirma a suspeita do comandante da Capitania dos Portos, Walter Bombarda, sobre o risco da ressaca ter provocado a acidente.
O dono da embarcação contou ainda que depois do acidente, eles tentaram ligar novamente as máquinas, mas não tiveram sucesso.
- A maré foi levando a embarcação para um lado e as buscas devem ter seguido para o outro, apesar de todos os esforços.
Assista ao vídeo:

Pescadores internados
Quatro dos seis pescadores continuam internados em hospitais do Rio desde a chegada à cidade, na manhã de terça-feira (28). Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, eles ainda não têm previsão de alta.
José Cláudio da Conceição, de 35 anos, está em estado grave, passando por novas avaliações no Hospital Souza Aguiar, no centro do Rio.
O comandante do barco, Zenildo de Oliveira Pacheco, de 31 anos, e os pescadores Leandro Vidal Martins, de 34, e Gilnei Bahiense da Silva, de 57, estão no Hospital Salgado Filho, no Méier, na zona norte do Rio. Eles estão sendo hidratados.

Comentários