Justiça liberta os últimos 14 bombeiros ...

... que permaneciam detidos em Niterói
 
Os 14 bombeiros que ainda estavam detidos no quartel de Charitas, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, foram libertados pela Justiça, por volta das 15h30 deste sábado (11).
De acordo com o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o atraso para libertar nove dos 14 militares restantes se deu por uma falha da Corregedoria do Corpo de Bombeiros, que enviou para a Auditoria da Polícia Militar, e consequentemente para a Polinter, somente o nome dos militares detidos.
- Somente com o nome, a Polinter não pode analisar se os bombeiros têm algum antecedente criminal, porque pode haver homônimos.

André Paino
 
Ainda de acordo com o deputado, os outros cinco bombeiros assinaram a nota de culpa, porém o nome deles não aparece em nenhuma das listas da Corregedoria do Corpo de Bombeiros, o que determina que a prisão deles foi irregular e mantidos em cárcere privado.
- O Estado manteve em cárcere privado cinco militares dentro do quartel. Contra eles não havia nenhum mandado de prisão. Eles foram privados de ver suas famílias e de irem para suas casas. Foi uma prisão irregular. O corregedor do Corpo de Bombeiros e o Estado terão que responder sobre isso. É uma desorganização.
Os 14 bombeiros que permaneciam detidos deixaram o quartel de Charitas por volta das 15h30 deste sábado.

Comentários