MP recebe autos de prisão dos 439 bombeiros presos em Niterói

Órgão tem cinco dias úteis para analisar denúncias
André Muzell / Do R7
André Muzell / Do R7
Bombeiros fazem manifestação em Ramos e em frente à Alerj nesta quarta-feira
 
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro recebeu nesta quarta-feira (8) os autos da prisão dos 439 bombeiros que foram presos no último sábado (4) após invadirem o Quartel Central do Corpo de Bombeiros, na praça da República, no centro da capital fluminense. O órgão tem cinco dias úteis para analisar a denúncia. Os militares foram autuados por crime de motim, dano à viatura, dano a instalações e impedimento a socorro e salvamento. 
Os bombeiros que participaram do protesto de sexta-feira (3) foram detidos e levados inicialmente para a Corregedoria da Polícia Militar, em São Gonçalo, na região metropolitana. Eles foram transferidos no domingo (5) para o Quartel de Niterói, em Charitas.
Desde então, outros bombeiros fazem manifestações em municípios do Estado do Rio, pedindo a libertação dos companheiros. No sábado, um grupo de militares de Petrópolis, na região serrana, fez manifestações no centro da cidade.
Nesta quarta-feira, bombeiros do Rio e de outros estados permaneciam na escadaria da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) em apoio aos militares presos. Eles reivindicam ainda melhores condições de trabalho e reajusta salarial.
Os agentes entregavam fitas vermelhas para pedestres e motoristas que passavam nesta manhã pelo centro. O objetivo é sensibilizar a população sobre a crise na corporação.

Comentários