Mulher que perdeu bebê em protesto diz que lutará ao lado dos bombeiros até o fim

Esposa de cabo ficou acampada em frente à Alerj até sábado

André Muzell / Do R7
André Muzell / Do R7
Familiares de bombeiros passaram uma semana acampados em frente à Alerj
 
Evelyn Moraes
 
A vendedora Cleia Borges Menegueli, de 27 anos, esposa do cabo do Corpo de Bombeiros Túlio Borges Menegueli, de 31 anos, disse nesta terça-feira (14) que lutará por reajuste salarial e melhores condições de trabalho até o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, negociar com a corporação. Segundo ela, caso não haja um acordo, eles voltarão a acampar na porta da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).
- Se nada for resolvido, nós estaremos lá na próxima quinta-feira (16) e voltaremos a acampar na porta da Alerj.
Cleia, que estava grávida de sete semanas, perdeu o bebê durante a manifestação dos bombeiros na sexta-feira (3), no Quartel Central, na praça da República, no centro do Rio. Ela disse que foi ao protesto, pois não imaginou que teria alguma confusão.
- Fui sabendo que estava grávida porque a manifestação era pacífica. Nunca imaginei que fosse tomar essa proporção. Foi muito constrangedor para mim. 

Comentários