Papo de Samba? Só se for com James Jefferson ...

 ... e suas baianidades



A minha loura preferida, - não é a Devassa, - resolveu pegar no meu pé e na minha proverbial preguiça baiana, desde que eu resolvi, a pedido, escrever algumas maltraçadas linhas para a excelente revista Visão Laflora.

 A idéia era tecer comentários sobre o samba cabo-friense, mas que samba?

Em Feitio de Oração, canção de Noel Rosa e Vadico, o parceiro de Noel já afirmava que “Samba não se aprende no colégio”,e eu observo que a maioria dos compositores, ou seja, o povo do samba em sua maioria é gente desprovida de recursos financeiros, e muitas vezes semi-analfabeta.

João do Vale, cunhado do nosso Torres do Cabo, não sabia ler, nem escrever, ou seja: era analfabeto de pai, mãe e parteira.
São dele os versos de “Na asa do vento”:

Deu meia noite, a lua faz um claro
Eu assubo nos aro, vou brincar no vento leste
A aranha tece puxando o fio da teia
A ciência da abeia, da aranha e a minha
Muita gente desconhece
Muita gente desconhece, olará, viu?
Muita gente desconhece
Muita gente desconhece, olará, tá?
Muita gente desconhece
A lua é clara, o sol tem rastro vermelho
É o lago um grande espelho onde os dois vão se mirar
Rosa amarela quando murcha perde o cheiro
O amor é bandoleiro, pode inté custar dinheiro
É fulô que não tem cheiro e todo mundo quer cheirar
Todo mundo quer cheirar, olará, viu?
Todo mundo quer cheirar
Todo mundo quer cheirar, olará, tá?
Todo mundo quer cheirar.



Pois bem. Voltando à nossa realidade cabo-friense, onde o dinheiro público faz a festa para alguns agraciados donos de escolas de samba, os nossos compositores raramente são vistos em rodas de samba, e ganham “algum”, quando vencem as disputas dos enredos na época do carnaval, e justamente na cidade que é considerada celeiro de verdadeiros talentos musicais. Não cito os nomes para não cair naquela velha história de “posso cometer injustiça, se acaso esquecer algum deles”.

Aproveito para recomendar o blog do neto de Silas de Oliveira, um dos expoentes do
 samba enredo, e autor de verso como, “Ohh, minha romântica senhora tentação..”, de verdadeira pérola da música popular universal. Junior de Oliveira também é músico, o blog está começando, mas vale a pena dar uma olhada.

Comentários