Polícia procura ex-jogador

Edmundo está foragido

Rio - Equipes da Polinter procuram, desde a manhã desta quarta-feira, o ex-jogador Edmundo, que já é considerado foragido. Até o fim do dia, os agentes pretendem ir a cinco endereços em busca do ex-atleta. Policiais tentam cumprir o mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio nesta terça-feira. Edmundo responde pelo acidente de trânsito que, em 1995, matou três pessoas e feriu outras três, na Lagoa, Zona Sul do Rio.
O juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da Vara de Execuções Penais (VEP), rejeitou a alegação da defesa do ex-atleta de que o crime prescreveu, ou seja, o prazo para punição foi ultrapassado.

foto materia principal
Acidente envolvendo ex-jogador Edmundo deixou três mortos em 1995 | Foto: Banco de Imagens
Segundo o juiz, o caso só vai prescrever em outubro, quando terão decorrido 12 anos desde que a 6ª Câmara Criminal do Rio confirmou a condenação do ex-jogador a 4 anos e 6 meses de prisão, em regime semi-aberto, pelos homicídios culposos de três pessoas e lesão corporal culposa de outras três, vítimas do acidente na Lagoa, em 2 de dezembro de 1995. Na época, ele só ficou preso por 24 horas. A Justiça constatou que a imprudência de Edmundo ao volante causou as lesões e as mortes.


Na colisão morreram Joana Maria Martins Couto, 16 anos, Carlos Frederico Britis Tinoco, 24, e Alessandra Cristini Pericier Perrota, 20. Ficaram feridas ainda Roberta Rodrigues de Barros Campos, Débora Ferreira da Silva e Natascha Marinho Ketzer.

Mãe de Joana, Iliane Artiaga Martins ficou surpresa com a decisão: “As pessoas sempre me perguntavam como tinha ficado a situação, e eu não sabia responder. Só sabia que o caso tinha ido para Brasília. Já faz tanto tempo. A Justiça tarda, mas não falha”, disse.
O advogado de Edmundo, Arthur Lavigne, acredita que seu cliente não voltará à prisão, como determinou o juiz da VEP: “Esse processo está mais do que prescrito. Até pelo Ministério Público. Amanhã (hoje) vou averiguar”.
Relembre o caso
Na madrugada do dia 02 de dezembro de 1995, Edmundo e alguns amigos seguiram para a boate Sweet Home, na Lagoa, Zona Sul, onde encontraram Joana Martins Couto, 16, e sua amiga Déborah Ferreira da Silva, então com 21 anos. Como Joana não pode entrar na boate, seguiu com Edmundo até o bar El Turfe, na Gávea. Na esquina da avenida Borges de Medeiros com a rua Batista da Costa, na Lagoa, o Cherokee do atacante se chocou com o Fiat Uno cinza dirigido por Carlos Frederico Pontes, 24.

O carro de Edmundo capotou várias vezes e ficou com as rodas para o ar, enquanto o Fiat foi jogado a uma distância de 30 metros e colidiu com um poste. Carlos Frederico morreu na hora. A namorada dele, Alessandra Cristina Perrota, 20, e Joana morreram algumas horas depois, no hospital Miguel Couto.

Na ocasião, Déborah quebrou a bacia, a quinta vértebra da coluna e quase ficou paraplégica. Além das duas amigas, também estavam no carro do ex-jogador o empresário Marckson Gil Pontes, 31, e a estudante Roberta Campos, 19. Os dois ficaram levemente feridos, assim como Natasha Marinho Ketse, 19, que estava no Fiat Uno. 
foto materia principal
Na ocasião, três pessoas morreram em decorrência do acidente envolvendo o ex-jogador | Foto: Banco de Imagens

Comentários