14 de julho de 1961 - Papa João XXIII publica Mater et Magistra


Enviado por: Lucyanne Mano

Publicada a Encíclica Mater et Magistra. Jornal do Brasil: Sábado, 15 de julho de 1961.

"A experiência, efetivamente, atesta que, onde falta a iniciativa pessoal dos particulares, existe a tirania política, e que existe, além disso, estancamento dos setores econômicos destinados a produzir sobretudo a gama infinita de bens de consumo e de serviços, relacionados não só às necessidades materiais, mas também às exigências do espírito. São bens e serviços que ocupam, de um modo especial, a genialidade criadora dos indivíduos. Por outro lado, onde falta ou é defeituosa a devida atuação do Estado, reina uma deosrdem irremediável e abuso dos fracos por parte dos fortes menos escrupulosos, que arraigam em todas a terrras, em todo os tempos, como o joio entre o trigo..." Jornal do Brasil

No início dos agitados anos 60, quando o mundo reconstruía-se do primeiro meio século de guerras, num ambiente contextualizado pela Guerra Fria, a Igreja Católica não teve outra opção. Viu-se obrigada a atualizar e a reafirmar o seu Magistério sobre as questões novas e antigas.

O Papa João XXIII publicou a Enciclíca Mater et Magistra, com com 25 mil palavras, a mais extensa da Igreja até então. O Papa recomendou a indústria a limitar seus lucros e assegurar ao trabalhador um salário que lhe permita uma vida digna. Reconheceu a situação difícil das nações do Terceiro Mundo, pedindo ajuda dos países desenvolvidos.

Comentários