Aconteceu em 29 de julho


1979: Morre Herbert Marcuse, o teórico da rebelião estudantil que agitou o ano de 1968

Morre o teórico da rebelião estudantil que agitou o ano de 1968 Herbert Marcuse. Jornal do Brasil: terça-feira, 31 de julho de 1979.

Um ataque cardíaco matou o sociólogo e filósofo alemão Hebert Marcuse, 81 anos, numa clínica particular às margens do lago de Starnberg, perto de Munique. Principal teórico da rebelião estudantil que agitou o ano de 1968, Marcuse estava na Alemanha como convidado para um programa de estudos sobre questões sociais e pensava em voltar aos EUA, que o acolheu em 1933, ao fugir do nazismo. O corpo foi enterrado na Califórnia, como era seu desejo.


Assim como Theodor Adorno e Ernst Bloch, outros dois importantes pensadores alemães, Marcuse mantinha uma conduta extremamente crítica em relação ao regime alemão, e fazia questão de uma distância bastante grande em relação ao universo oficial de seu país. Adorno e Bloch também emigraram quando Hitler subiu ao Poder e nunca mais se sentiram à vontade na Alemanha, nem mesmo depois da guerra.

Com justiça ou não, Marcuse foi considerado pela opinião pública como o "inspirador" das revoltas estudantis que transformaram a fisionomia do país na segunda metade da década de 60. Pelo menos foi desta maneira que seu nome apareceu no amplo noticiário dedicado à sua morte: Marcuse cercado por estudantes nas superlotadas salas de aula em Berlim e Frankfurt, Marcuse conversando com líderes estudantis da época, Marcuse fotografando à frente de passeatas no "campus".

"Somente através dos desesperançados nos é dada a esperança". Marcuse acreditava firmemente nas palavras de seu amigo Walter Benjamin: citou-as na conclusão de um de seus livros mais representativos Eros e a Civilização (1955) e incluiu-as entre os lemas sagrados que inspiraram sua obra de pensador.

Herbert Marcuse nasceu em Berlim, Alemanha, no dia 19 de julho de 1898 e foi um dos fundadores da Escola de Frankfurt. Com a ascensão de Hitler, em 1933, fugiu para os EUA. Naturalizado americano, foi professor nas universidades de Columbia e Harvard. Sua doutrina se baseava na dialética de Hegel e na filosofia de Heidegger. Condenava tanto o marxismo soviético quanto a sociedade de consumo. Acreditava na liberdade sexual como condição básica da emancipação pessoal, econômica e política. Por sua capacidade de se engajar, suas ideias inspiraram muitos líderes do movimento estudantil francês, na explosão de manifestações de maio de 1968. Suas obras mais conhecidas, além de Eros e Civilização (1955) são O homem unidimensional (1964), Ideologia da Sociedade Industrial (1964) e O Fim da Utopia (1967). 
 
  1992 - Dia da secretária consciente  
 
O testemunho de Sandra Ferreira de Oliveira, secretária da empresa Alcides Santos Diniz, atesta que a Operação Uruguai foi forjada. Desmorona a última tentativa de ocultar o esquema PC-Collor de corrupção.
Sandra Ferreira de Oliveira
 
 
1816: Decreto de d. João VI proíbe a navegação de cabotagem no Brasil a navios estrangeiros.
   
1830:
Vitória da Revolução Liberal na França, após 3 dias de barricadas em Paris. Fim da Restauração.
A Revolução
vista por
Delacroix
   
1900: O anarquista Gaetano Bresci mata em atentado o rei Humberto I da Itália, célebre pela ambição imperialista e a intolerância social.
   
1810:O pres. José Madaiz denuncia intervenção dos EUA na Nicarágua.
   
1914:
A contaminação social-chauvinista impede a executiva da 2ª Internacional de tomar posição contra a 1ª Guerra.
   
1930:
"Nego": João Pessoa recusa o apoio da PB ao candidato da situação, Júlio Prestes. Será o vice de Getúlio.
   
1969:Decreto-lei 898 fixa o "inimigo interno" como alvo da “Segurança nacional”.
   
1984: Greve de 7 mil na siderúrgica Acesita, Timóteo, MG.
   
1997:Choque entre PMs grevistas e tropa do Exército em Fortaleza; 3 feridos.
   
1998:Privatização da Telebrás, a 2ª maior do globo, apura R$ 22 bilhões. Capitais da Espanha, Portugal e EUA controlam o setor. A PM reprime protesto, fere 44 e prende 32.
   

Comentários