Crise nos Transportes já derrubou ministro e mais 17 entre diretores e assessores


Dilma continua "faxina" e quer afastar toda a diretoria de Dnit e Valec

Agência Estado
Disposta a continuar a devassa nos Transportes, a presidente Dilma Rousseff vai afastar toda diretoria do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), que cuida das rodovias, e da Valec, empresa que responsável pelas ferrovias. Em conversa com poucos jornalistas, no Palácio do Planalto, ontem (22), Dilma definiu sua atitude como "ajuste".
- Sairão todos os dirigentes do Dnit e da Valec, independentemente de endereços partidários.
Desde que surgiram as primeiras denúncias de superfaturamento de obras e cobrança de propina no Ministério dos Transportes, Dilma já afastou 18 pessoas. Caíram o ministro Alfredo Nascimento, secretários e também diretores do Dnit e da Valec. 


A presidente não quis revelar quem será o substituto do diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot - que está em férias e é afilhado político do senador Blairo Maggi (PR-MT) - nem de Hideraldo Caron, que formalizou seu pedido de demissão na tarde desta sexta-feira (22), informou a assessoria do Ministério dos Transportes. O pedido foi feito por carta ao ministro Paulo Sérgio Passos.
Na cúpula do órgão, Caron era o único petista e comandava a infraestrutura rodoviária do Dnit. Pagot chegou a dizer que nenhuma obra era aprovada ali sem o aval do petista. Dilma contou que enviará ao Congresso uma lista com os nomes dos substitutos dos diretores do Dnit logo na primeira semana de agosto, quando deputados e senadores voltarem do recesso. 
Na quinta-feira (21), a CGU (Controladoria-Geral da União) instaurou mais quatro processos para apurar as denúncias no Ministério dos Transportes e em órgãos ligados à pasta. Ao todo, são sete sindicâncias para investigar irregularidades.


Comentários