Em Cabo Frio, Dr. Taylor apresenta direito de reposta ao professor Totonho através da mídia



Pedido de Direito de Resposta Negado Pelo Sr. Totonho.

Prezado Sr. Totonho, sabemos que o senhor é apenas detentor de uma página pessoal na internet, mas já que se auto intitula de jornal deveria pautar pela ética e o profissionalismo da sagrada profissão dos jornalistas, e antes de soltar “peruadas” deveria apurar ou tentar apurar a realidade dos fatos que narra.

Na nota abaixo publicada em seu site o senhor falta totalmente com a verdade dos fatos, não sabemos se esse erro é motivado por falta de conduta, preguiça ou até mesmo incompetência:

“OPOSIÇÃO QUIETINHA” 

Os vereadores de Cabo Frio estão em um momento ruim, mas a “oposição” se destaca dentro deste quadro. Além de não fazer cosquinha no Governo Marquinho Mendes (PSDB) apoiou a privatização (Taylor Jasmin – PMDB). O outro vereador “oposicionista” Marcello Corrêa (PMDB) convenientemente não compareceu a “histórica” reunião do recesso – 18 de janeiro – mas também não estrilou. Ficou quietinho até a bomba explodir. Que coisa!!!” (SIC)

A verdade dos fatos é que no dia 18 de janeiro de 2011 estive presente a sessão da Câmara de Vereadores, interrompi um plantão médico e fui até a sessão devido à importância do tema abordado, mas jamais votei ou votaria a favor da privatização do estacionamento público, como estava de plantão médico mantive meu telefone ligado para eventuais emergências, e infelizmente antes que a votação ocorresse tive que atender a uma emergência, uma mãe estava precisando de intervenção imediata pois seu bebê estava com mecônio o que indica sofrimento fetal, e nesse caso cada segundo é determinante para a sobrevivência ou não da criança. Enquanto se votava a privatização do estacionamento eu estava salvando a vida de dois seres humanos, que hoje estão saudáveis primeiramente graças a misericórdia de Deus e em segundo graças ao dom que Deus me deu em intervir favoravelmente na manutenção da vida.

Estou lhe enviando a cópia da cessão do dia 18 de janeiro e quero que por gentileza o senhor nos aponte aonde consta que votei a favor da privatização.

Quanto a sua calúnia em afirmar que Dr. Taylor Jasmim Júnior é uma oposição quietinha lhe desafio a me dar espaço para a publicação de todos os projetos de lei de minha autoria que foram apresentados naquela casa legislativa, além das inúmeras defesas que já fiz em plenário lutando pelos direitos de nossos cidadãos. Quero ver se o senhor tem coragem de me deixar mostrar meu trabalho como Vereador em Cabo Frio, lhe desafio a me dar essa visibilidade.

Não sei se o senhor tem conhecimento, mas não vivo de recursos conquistados como vereador, tenho a mesma profissão que herdei do maior homem vivo que eu conheço, meu pai e exemplo de vida Dr. Taylor Jasmim, sou médico e dou diversos plantões em hospitais de toda a Região dos Lagos, trabalho incansavelmente ajudando a trazer a vida a nosso mundo ou salvando a vida de mulheres que dependem dos meus serviços, e é com esse dinheiro conquistado honestamente que levo o sustento a minha família, se amanhã não estiver mais atuando na política continuarei minha vida da mesma forma, talvez até um pouco melhor, pois minha luta por Cabo Frio me faz estar muitas vezes distante da minha família, estou Vereador em Cabo Frio por um ideal que é o de ver nossa cidade crescendo, de ver a população que me elegeu tendo dignidade, estou vereador Sr. Totonho por motivos dignos, esse é um conceito que muitas vezes duvido da existência em seu dicionário.

Solicito que essa resposta seja integralmente postada com o mesmo destaque que a nota que ofende diretamente a minha honra e moral, para que as verdades dos fatos fiquem claras na mente daqueles que infelizmente foram impactados com essa “peruada” publicada pelo senhor.

Atenciosamente,
Dr. Taylor da Costa Jasmim Júnior.
Médico e vereador em Cabo Frio

Gostaria de solicitar uma importante ajuda, na última quarta-feira fui caluniado pelo Luiz Antônio Nogueira da Guia (Totonho), e tentei que o mesmo publicasse em seu site meu direito de resposta sobre as inverdades e calúnias ali publicadas, mas como era de se esperar este senhor me negou o direito de defesa.

Mediante essa situação estou encaminhando o assunto ao meu departamento jurídico para que seja tomada a devida providência e peço humildemente que se for possível me dê um pouco do seu espaço na mídia para que eu possa estabelecer a verdade dos fatos.

Atenciosamente,
Dr. Taylor da Costa Jasmim Júnior.

Comentários