Em Rio das Ostras, cultivo pioneiro na região de hortaliças na água

Hidroponia permite a pequenos agricultores vender hortaliças com ganho superior a 40% do produto tradicional


         A Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca de Rio das Ostras está incentivando, de forma pioneira na região, a hidroponia: cultivo de hortaliças na água pura, sem contato com o solo, sem agrotóxicos ou risco de contaminação. O objetivo da Prefeitura é ampliar as oportunidades de geração de renda dos pequenos produtores e possibilitar aos agricultores comercializar um produto de maior valor agregado e de alta qualidade.
         A alface hidropônica, por exemplo, pode ser vendida a um valor 40% superior àquela cultivada de forma tradicional. Há cerca de cinco meses a Prefeitura começou o incentivar a prática da hidroponia, oferecendo o maquinário para preparar o local e as estufas, assistência técnica de engenheiros e técnicos agrônomos e materiais pra uso dos agricultores.
         O produtor Alexandre Ramos está apostando na produção de alface lisa e crespa. Ele também está testando o cultivo da salsinha, rúcula e morangos. “Conseguindo comercializar, a gente vai aumentando e variando a produção”, conta o produtor.

         HIDROPONIA - E a colheita farta mostra que a cultura está dando certo. Irrigadas por meio de canos próprios para hidroponia, as mudas são preparadas em pequenas placas, depois são inseridas em canos com orifícios menores para receber a água – “límpida, direto da nascente”, reforça Alexandre. Depois de maiores, as hortaliças são colocadas em canos com orifícios mais largos, para que possam crescer, somente com as raízes em contato com a água. O produtor adiciona o adubo direto na água, o que vai fazer com que as plantas se desenvolvam, limpas, sem contato com terra.
         “Já tiramos pé de alface aqui com 1Kg200. E ela sai limpinha, pronta pra comer”, diz outro produtor, José Miranda, que trabalha com Alexandre no cultivo. “A Prefeitura tem nos ajudado muito; nós pedimos as máquinas e eles mandaram e vêm ajudar em tudo que a gente precisa”, completou José Miranda.
         Segundo os produtores, atualmente eles conseguem colher cerca de 2.500 pés de alface por mês. Mas, depois que o produto for mais conhecido e consumido na região, eles esperam chegar a produzir até 60 mil pés de alface por mês e ainda diversificar o cultivo de outras hortaliças.

Comentários