Município do Rio gasta R$ 3.000 por mês no tratamento de viciados de crack


Desde que foi determinada a internação compulsória, 82 crianças já foram recolhidas


Apenas quatro instituições do Rio têm capacidade para tratar crianças e adolescentes viciados em drogas, entre elas, o crack. Além das poucas unidades, a abstinência e a falta de estrutura familiar são dois fatores que prejudicam o tratamento de usuários de crack.

O custo de cada tratamento para o município do Rio de Janeiro é de cerca de R$ 3.000. Desde que foi determinada a internação compulsória de menores, 82 já foram recolhidos. 

No entanto, o aumento de pacientes em abrigos está trazendo transtornos para vizinhos destes locais, que denunciam invasões de pacientes às suas residências. 

A prefeitura do Rio ainda não tem uma estimativa de quantas crianças e adolescentes viciados ainda vivem nas ruas da cidade.

Assista ao vídeo:

Comentários