Na Noruega, Rei classifica massacre de "tragédia imensurável"


Harald prega a união do povo norueguês neste momento terrível

EFE

O rei Harald da Noruega classificou neste sábado (23) de "tragédia imensurável" o massacre perpetrado ontem (22) na ilha de Utoya, próxima a Oslo, onde segundo dados policiais morreram pelo menos 87 pessoas, duas horas depois do atentado a bomba na capital do país, que deixou outras sete vítimas fatais.
- É importante manter-nos unidos nestes momentos.
O monarca expressou na sequência suas mais profundas condolências a todos os afetados e aos familiares das vítimas.






Fontes policiais atribuíram o massacre a apenas um homem, supostamente o norueguês de 32 anos detido pouco depois na própria ilha. Inicialmente, a polícia informou que os dois ataques não eram obra do terrorismo internacional, mas de um variante local de movimentos antissistema.
O diário norueguês VG informa, no entanto, que o detido é um ultradireitista que deixou mensagens na internet identificando-se como nacionalista e inimigo da sociedade pluricultural.
O primeiro dos ataques, na capital norueguesa, ocorreu às 10h20 de Brasília ao explodir uma potente bomba no complexo do governo, situado no centro de Oslo, o que vitimou sete pessoas e deixou outras 15 feridas.

Duas horas depois, foi a vez do massacre no acampamento da UAF (juventude social-democrata) na ilha de Utoya. No momento do atentado, estavam na colônia cerca de 560 pessoas, e neste sábado o local seria visitado pelo primeiro-ministro norueguês, o social-democrata Jens Stoltenberg.
Alguns veículos da imprensa norueguesa informam que assim que o agressor começou a atirar, os jovens entraram em pânico, mas alguns conseguiram fugir a nado.


Comentários