População de Magé vai às urnas eleger novo prefeito neste domingo

Ex-prefeita Núbia Cozzolino foi afastada do cargo por abuso de poder

Agência O Dia
Núbia
Ex-prefeita de Magé, Núbia Cozzolino, foi detida em 2009 por suspeita de fraude na venda de combustível adulterado


Os moradores de Magé, na Baixada Fluminense, vão escolher neste domingo (31) o novo prefeito do município. A nova eleição foi convocada depois que a ex-prefeita Núbia Cozzolino (PMDB) e o vice-prefeito Rozan Gomes da Silva (PSL) tiveram os mandatos cassados por abuso de poder político e econômico. Núbia já estava afastada do cargo desde 2009 por suspeita de formação de quadrilha e desvio de dinheiro público.


Evelyn Moraes

Há seis chapas inscritas para a disputa em Magé. Pelo PCdoB, concorrem a prefeito Ezaquiel Siqueira da Conceição e a vice-prefeita Maria das Graças Melo de Souza. Pelo PSOL, Octaciano Gomes Ramos e Thelma Regina Lodi Castro. Pelo PPS, Genivaldo Ferreira Nogueira e Eduardo Domingos Marques. Pelo PT, Álvaro Alencar de Oliveira Rodrigues e Gutemberg Oliveira de Assunção. Pela Coligação "Magé para os Mageenses" (PTdoB e PTC), Werner Benites Saraiva da Fonseca e Valdeck Ferreira de Mattos da Silva. Pela Coligação "Magé no rumo certo" (PMDB, PSDB, PSL e PSC), Nestor de Moraes Vidal Neto e Cláudio Ferreira Rodrigues.
Na semana passada, o Ministério Público do Rio de Janeiro multou o prefeito em exercício, Anderson Cozzolino, o Dinho (PMDB), irmão de Núbia, por emitir licenças para vans de transporte alternativo, descumprindo o acordo que proibia novas autorizações. Os promotores apuram se as emissões tiveram fins eleitorais. 

Fiscais do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) recolheram neste mês propaganda irregular de candidatos na cidade. Na última quinta-feira (28), eles cumpriram mandados de busca e apreensão em dois postos de saúde municipais. 

A reportagem do R7 tentou contato com a Prefeitura de Magé, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Esquema de segurança reforçado 

Para garantir a segurança dos eleitores e evitar crimes eleitorais, o TRE montou um forte esquema para este domingo. Segundo o presidente do órgão, desembargador Luiz Zveiter, as polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal farão parte do efetivo que atuará durante todo o dia na cidade. 


Ao todo, serão oito equipes da PRF, 40 policiais federais, 120 civis e 530 PMs, inclusive do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais). A polícia vai usar dois helicópteros para monitorar as zonas eleitorais. O gabinete funcionará no Batalhão de Magé (34º BPM). 

De acordo com Zveiter, o objetivo é garantir tranquilidade aos eleitores e coibir práticas irregulares. 

- O objetivo é coibir a propaganda irregular, a compra de votos, influência no eleitorado, tudo isso para dar a tranquilidade para a população de Magé votar no melhor candidato que ela entenda e não por pressão. 

Ainda segundo o presidente do TRE, equipes da Corregedoria da PM também atuarão no dia da eleição. Delegacias especiais serão montadas para efetuar eventuais prisões. 

Além disso, haverá um posto do Instituto Félix Pacheco para esclarecer dúvidas em relação à identificação de eleitores. As equipes também terão apoio da Ampla (concessionária responsável pelo fornecimento de energia do município). 

Zveiter disse ainda que o TRE recebeu informações de que policiais militares estariam fazendo a segurança de candidatos à Prefeitura de Magé.

Comentários