Bombeiros fazem nova manifestação na Alerj nesta quarta


Os bombeiros fazem ato nesta quarta-feira, às 15h, na escadaria da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no Centro da cidade. A data marca os dois meses do episódio do Quartel Central, com a determinação das prisões e a invasão pelo Bope na alvorada. Desde abril, os militares permanecem com as mesmas reivindicações: piso salarial de R$ 2 mil líquidos e fim da política de gratificações.

Desde abril, o movimento dos bombeiros pede piso salarial de R$ 2 mil líquidos e é contrário à política de gratificações pois, de acordo com eles, elas segregam a tropa: não são concedidas aos aposentados (inativos) e aos pensionistas (por exemplo viúvas de militares mortos em serviço) e são cortadas no contracheque dos militares em licença (licença por doença ou por acidente, por exemplo).


O governo do Estado respondeu ao movimento com a antecipação das parcelas do reajuste de 5,58% que já havia sido anunciado pelo governo para o final do ano (anúncio feito antes mesmo das manifestações e que teve apenas as parcelas já previstas antecipadas), resultando em um aumento real de cerca de R$ 70 no contracheque dos militares. Além da concessão de gratificação de R$ 350 para parte da tropa.
Mesmo com os anúncios feitos pelo Governo, ele reivindicam que os bombeiros militares recebem o pior salário do Brasil. Atualmente, o salário de um soldado é de cerca de R$ 1.070,00.

Comentários