Globo recusa nova oferta de Edir Macedo para exibir conteúdo religioso às madrugadas


A Rede Globo recebeu uma proposta da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), de Edir Macedo, para exibir programas de conteúdo religioso na madrugada. Dessa vez, no entanto, a proposta veio sem valores específicos, deixando a cargo da emissora carioca o quanto gostaria de receber para tal. 
De acordo com a coluna Radar, do jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, a justificativa da Globo é que a legislação brasileira proíbe a venda de espaços na programação para terceiros. 

Lavagem de dinheiro
Pelo espaço adquirido na programação da Rede Record, a Igreja Universal do Reino de Deus tem sido investigada por superfaturamento. Em junho foi divulgado um balanço da emissora de Edir Macedo. Esse documento revela que a Universal paga R$ 42 milhões mensais para poder exibir seu conteúdo na TV, um valor mais de cinco vezes maior que o de mercado.

Por ser uma instituição religiosa a IURD não paga impostos e não tem uma declaração precisa do quanto em dinheiro é recolhido nos templos. Por isso, ao injetar muito dinheiro em uma empresa do mesmo dono levantou suspeitas. Críticos de Edir Macedo o acusam de lavagem de dinheiro, usando a Record como laranja para embolsar legalmente o dinheiro dos fiéis. 

Ainda de acordo com a coluna do jornalista da Veja, Edir Macedo responde a um processo aberto sobre essas transações suspeitas entre suas duas entidades. O valor que a Globo pode novamente pedir pelo horário em sua grade poderá ser usado como álibi de que os R$ 42 milhões que a Universal paga a Rede Record para ter seus programas durante as madrugadas são normais.

Oferta Divina
Em 2009 a Globo já havia negado uma proposta da IURD. Na época, ela havia pedido R$ 545,3 milhões mensais pelo horário da madrugada à denominação. Em contrapartida a igreja respondeu aceitar a proposta e pedindo o contrato para fechar. Na última hora a emissora carioca recuou e vetou a negociação.

Comentários