Massacre de Realengo: Vergonha para Paes e Cabral


Cabral e Paes abandonam famílias dos jovens mortos na escola de Realengo

As doze crianças barbaramente assassinadas por um psicopata na Escola Tasso da Silveira, em Realengo
As doze crianças barbaramente assassinadas por um psicopata na Escola Tasso da Silveira, em Realengo

Neste momento estou participando na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, de uma audiência pública para ouvir as famílias das crianças vítimas da chacina na escola Tasso da Silveira, em Realengo. Estão presentes, Adriana Maria da Silveira Machado, mãe da menina Luisa Paula que faleceu; Andrea Tavares Monteiro, mãe da menina Taiane Tavares, que está paraplégica; Carla Daniele Ferreira, mãe do menino Mateus que está até hoje, aguardando uma cirurgia no braço, que foi atingido por tiros; e Valdeci José Pereira, pai do menino Luan que corre o risco de ficar cego. A revolta é geral com o prefeito Eduardo Paes e com o governador Sérgio Cabral, pois nenhuma das promessas feitas na época do massacre foi cumprida com as famílias. Para se ter uma idéia até a ajuda financeira que estava sendo dada às famílias foi suspensa sob alegação de falta de recurso e os psicólogos que iriam dar apoio às famílias estiveram um único dia com as pessoas e depois nunca mais.

INFORMATIVO DO DEPUTADO FEDERAL ANTHONY GAROTINHO

Comentários