No Chile, governo tenta encerrar impasse com estudantes


Brasília – Sob clima de impasse, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, tenta hoje (16) uma solução para encerrar a crise que envolve estudantes, professores, vários setores da sociedade e o governo. Uma equipe de ministros se reúne na tentativa de buscar uma solução negociada para o conflito, enquanto Piñera marcou para amanhã (17) uma reunião com a base aliada no Congresso.


Há três meses, o governo enfrenta manifestações lideradas pelos estudantes que defendem mudanças no sistema educacional do país. Universitários e secundaristas querem mais investimentos no ensino superior, garantindo que as universidades sejam gratuitas, além de alterações nos repasses para os ensinos básico e fundamental.
Nesta terça-feira, um grupo de estudantes completa um mês de greve de fome. Alguns deles decidiram suspender também a ingestão de água. A médica Nuñez Allende, que acompanha os estudantes em greve de fome, disse que depois de 30 dias sem comer há riscos para os sistemas imunológico e cardíaco.
Glória Negrete, que aderiu à greve de fome, disse que só suspenderá as manifestações depois que Piñera atender às principais reivindicações dos estudantes. Segundo ela, pelo menos dois de seus colegas passam por dificuldades e correm riscos.
As manifestações em Santiago e nas principais cidades chilenas foram repletas de cenas de violência. Piñera proibiu os protestos e mesmo assim os manifestantes foram às ruas. Houve embates entre policiais e ativistas.

Renata Giraldi*


*Com informações da rede estatal de televisão do Chile, TVN//Edição: Graça Adjuto

Comentários