Resumo dos principais jornais nesta terça-feira

O Globo

Manchete: Otan e rebeldes caçam Kadafi, que ainda resiste

Dado como preso, filho de ditador reaparece e expõe guerra de informações


Forças rebeldes, com o apoio da Otan, lançaram uma caçada a Muamar Kadafi, com combates e bombardeios no complexo Bab al Aziziyah, o QG do ditador, que ainda resiste, apesar de a maior parte da capital ter sido tomada pelos opositores. Kadafi permanece desaparecido, mas Saif, seu filho que na véspera fora dado como preso pelos rebeldes e pelo Tribunal Penal Internacional, reapareceu livre, e disse que seu pai está bem, revelando, assim, uma outra guerra – a de informações. Uma TV árabe anunciou que outro filho, Mohamed, cuja prisão também fora anunciada na véspera, teria escapado. No campo diplomático, os rebeldes também avançaram e foram reconhecidos pelo Egito e pela Liga Árabe. Para Rússia e China, o regime está no fim. (Págs. 1, 26 a 29)

O Brasil contra a parede
O Brasil deve anunciar esta semana, após meses de indefinição, apoio aos rebeldes líbios, motivado pelo reconhecimento de vários países. O Itamaraty disse estar em contato com a Liga Árabe, a União Africana e países do Brics. (Págs. 1 e 27)


Aeroporto tem ágio de 228% em leilão

Consórcio formado por empresa de SP e da Argentina paga R$ 170 milhões por terminal


Na primeira privatização de aeroportos do país, a paulista Engevix e a Argentina Corporacion América venceram o leilão do terminal de são Gonçalo do Amarante (RN). Com ágio de 228%, pagaram R$ 170 milhões para construir e operar o aeroporto. Serão investidos R$ 650 milhões, 70% do BNDES. (Págs. 1 e 19)


Dono de ilha confiscada se entrega à PF

O empresário Paulo Sérgio Cavalcanti, principal alvo da Operação alquimia, entregou-se à PF ao chegar a Salvador, proveniente da Espanha. Dono da Sasil e da ilha confiscada, teria admitido negócios que burlaram o fisco, mas alegou planejamento tributário. (Págs. 1 e 24)


Senado volta a pagar supersalários

Com o aval do presidente da Casa, José Sarney, o Senado recorreu na Justiça e obteve autorização para voltar a pagar os supersalários acima do teto de R$ 26,7 mil do serviço público. A medida deve beneficiar cerca de 700 servidores. (Págs. 1 e 3)


Dois ministros perdem apoio nos partidos

Os ministros Mário Negromonte e Pedro Novais perderam apoio em seus partidos (PP e PMDB) e balançam nos cargos. A frente contra a corrupção reúne-se hoje com entidades da sociedade civil. (Págs. 1, 4 e 5 e editorial "A diversificada tecnologia da corrupção")

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Rebeldes celebram, mas Gaddafi não se entrega

Filho do ditador reaparece e afirma que pai está em Trípoli com a família


Ainda travando batalhas pelo controle total de Trípoli, rebeldes comemoravam vitória e anunciavam que a “era Gaddafi” terminou.

Em Zawiya, a 50 km da capital, o clima era o mesmo. Lá, o avanço final dos insurgentes deixou um cenário de destruição, com fachadas de lojas e casas danificadas, relata o enviado especial Samy Adghirni.

A vitória, porém, ainda não é completa. Até o fechamento desta edição, Muammar Gaddafi controlava bolsões em Trípoli, incluindo um hospital, um quartel e um hotel. Insurgentes desconhecem seu paradeiro.

Saif al-Islam, filho do ditador líbio que os rebeldes haviam dito ter capturado, apareceu e afirmou que seu pai permanece na capital com a família. (Págs. 1 e Mundo)

Tropas do ditador cercam mídia do exterior em hotel (Págs. 1 e A10)

Hesitação de Dilma pode custar caro a empresas do país. (Págs. 1 e A13)

Foi crucial para a Otan ter tropas em terra para apoiar. (Págs. 1 e A13)

Fotolegenda: Manifestante pisa em quadro com a cara de Gaddafi em frente à embaixada em Ancara.

Fotolegenda: Na embaixada do país, a bandeira usada sob regime de Gaddafi é tirada do mastro

Fotolegenda: Em Brasília, bandeira do movimento rebelde líbio é hasteada na embaixada do país

Promotoria pede que caso Strauss-Kahn seja arquivado

A promotoria de Nova York pediu ontem o arquivamento das acusações feitas por Nafissatou Diallo, camareira do hotel Sofitel em Manhattan, contra o ex-diretor do FMI Dominique Strauss-Kahn. Ambos os lados negam ter feito algum tipo de acordo.


Para a promotoria, seria difícil comprovar a credibilidade de Diallo, que deu várias versões sobre o suposto estupro. (Págs. 1 e A15)


Dieta saudável pode levar a desconto na plano de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar autorizou planos de saúde a dar desconto de até 30% na mensalidade dos segurados que aderirem a programas de alimentação saudável, prática de exercícios ou mudanças de hábitos associados a doenças crônicas. 


Uma das associações que representam empresas elogiou a medida. (Págs. 1 e C1)

Preço do cigarro deve subir 20% em dezembro

O preço do cigarro no varejo deve ter aumento médio de 20% a partir de dezembro deste ano.


A elevação será resultado do repasse ao consumidor das novas alíquotas do IPI (Imposto sobre Produtos industrializados) para fabricantes, que entram em vigor no fim do ano. (Págs. 1 e B4)

Lula despacha com ministros sobre o governo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva despachou ontem com dois ministros de Dilma Rousseff em sua ONG, o Instituto Cidadania. Ele pediu informações sobre a demora na adoção do piso nacional do magistério, projeto de sua gestão. (Págs. 1 e A4)

Gustavo Patu: Novo ministério será inútil, no melhor cenário (Págs. 1 e A2)



Mercado: Aneel superestima custos, e conta de energia fica maior (Págs. 1 e B12)



Editoriais

Leia “O Brasil e a primavera”, que faz balanço da atuação do país diante das revoltas árabes, e”Barris a menos”, sobre o resultado financeiro da Petrobrás. (Págs. 1 e A2)



------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Rebeldes consolidam posição em Trípoli e Kadafi some

Paradeiro do ditador é ignorado; Brasil ainda aguarda para decidir se reconhece novo governo


Forças rebeldes haviam tomado ontem quase todos os bairros de Trípoli, capital da Líbia e último reduto do ditador Muamar Kadafi, há 42 anos no poder. No início da noite, ainda havia pequenos focos de resistência. Kadafi não havia sido encontrado, mas estava evidente que o fim do regime era questão de tempo. O presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu dar seu apoio a uma transição “pacífica” no país. Já o Brasil aguarda a decisão da Liga Árabe e conversas com os demais países dos Brics (Rússia, Índia, China e África do Sul) para decidir se vai reconhecer os rebeldes como o novo governo líbio. O Itamaraty quer esperar para ver se algumas condições serão cumpridas, como a criação de um governo estável e com algum padrão de democracia. “Pode haver alguns grandes problemas. Todos vão querer dirigir o espetáculo”, disse um dos rebeldes. “Todos têm de ser desarmados.” (Págs. 1, A14 a A17)

Exilados começam a voltar

Movidos pelo avanço dos rebeldes e pela aparente pacificação de cidades antes cercadas pelo regime, os exilados da revolução deram início ao retorno para suas casas. Até ontem, cerca de 7 mil refugiados já haviam voltado à Líbia pelo posto de fronteira de Dehiba-Wazen, no sul da Tunísia. (Págs. 1 e A17)


Leilão do aeroporto de Natal rende ágio de 228%

O consórcio Inframérica, sociedade da Engevix com a argentina Corporación América, venceu o leilão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, o primeiro a ser entregue à iniciativa privada. Com lance de R$ 170 milhões, o que representa ágio de 228%, o grupo desbancou quatro outros consórcios, prometendo empenho para concluir a construção do aeroporto antes da Copa de 2014. A empresa já pediu à Anac para antecipar a assinatura do contrato. (Págs. 1, B1 e B3)


Análise
Celso Ming

O leilão tem tudo para ser um passo decisivo para a superação de vários problemas que vinham paralisando a economia. O primeiro deles é o ranço ideológico do governo. (Págs. 1 e Economia B2)


Três ministros de Dilma vão se explicar

Depois de perder três ministros por suspeita de envolvimento em irregularidades, a presidente Dilma Rousseff verá hoje mais três auxiliares darem explicações no Congresso. Todos por supostos desvios de conduta. São eles: Pedro Novais (Turismo), Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) e Paulo Bernardo (Comunicações). A oposição promete ser dura com os ministros. Além disso, parte da base aliada começa a cobrar que a “faxina” de Dilma na administração seja igual para todos os partidos. (Págs. 1, e A4)



PMs tiveram participação na morte de juíza

O Comandante da Polícia Militar do Rio, coronel Mário Sérgio Duarte, admitiu a participação de policiais militares na execução da juíza Patrícia Acioli, no dia 12, após exames de peritos da Divisão de Homicídios revelarem que pertencem ao paiol da corporação os projéteis que mataram a magistrada. A Corregedoria da PM vai apurar o desvio da munição para pistola calibre 40. As investigações se concentram em policiais do Batalhão de são Gonçalo. (Págs. 1, e C5)



Justiça limita a 10% multa para trocar bilhete aéreo (Págs. 1 e C1)



MST volta a invadir área depredada em 2009 (Págs. 1 e Nacional A13)



José Paulo Kupfer

Ainda sem saída


O pior dessa crise é a falta de alternativas indiscutíveis para acabar com ela. As fórmulas para superá-la não parecem descritas nos livros-texto. (Págs. 1 e Economia B11)


Arnaldo Jabor

Lula e a 'ingovernabilidade'


Lula inventou a “ingovernabilidade” a que assistimos. Os assaltantes estão com saudade e querem que ele volte para normalizar tudo. (Págs. 1 e Caderno 2 D10)


Notas & Informações

Lambança nos projetos


Não dá para verificar se o maior ralo do orçamento é a incompetência, o desleixo ou a corrupção. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: O tirano que virou fumaça



- Rebeldes bombardeiam QG de Kadafi e anunciam fim do regime

- O cerco ao ditador faz as bolsas subirem nos EUA e na Europa
- Em Brasília, grupo que ocupa embaixada cobra apoio de Dilma

O cartaz de Muamar Kadafi sendo consumido pelas chamas é um emblema do fim. Em meio aos combates que fustigam o ditador, o mundo já começa a reconhecer nos opositores reunidos no CNT, o Conselho Nacional de Transição, o novo poder de fato na Líbia. Foi o que fizeram ontem a Liga Árabe, o Egito, e Autoridade Palestina e a Turquia, acompanhando assim posição já tomada por Estados Unidos, União Européia e mais de 25 governos, no total. O Brasil, que tinha no então presidente Lula um ferrenho defensor de Kadafi, continuava aguardando “uma definição” do confronto. “Algumas vozes mundo afora nos sugeriram apoio a uma coalizão de forças, não apenas a um grupo”, disse o porta-voz do Itamaraty, Tovar da Silva Nunes. (Págs. 1, 12, 18 e 19)


Servidor briga por aumento de 33%

Reunidos em plenária, ontem, funcionários do Executivo rejeitaram o reajuste de 2% a 31’% proposto pelo governo. Eles reivindicam aumento linear de 33%. No TRF, foi cassada a liminar que proibia o Senado de pagar salários acima de R$ 26.713, o teto constitucional. (Págs. 1 e 13)


Médica diz que seringas não tinham vírus da Aids

Miriam Tomkowski disse ao Correio que as seringas postas no muro de casa, no Condomínio RK, em Sobradinho, não estavam infectadas. O objetivo era assustar ladrões. Mas vizinhos ficaram indignados. Ela será investigada pela polícia e corre o risco de perde o registro profissional. (Págs. 1 e 31)


Frota de sucatas é ameaça aos brasilienses

Dos cerca de 3 mil ônibus que circulam no DF, 479 têm mais de 15 anos de uso. A lei estabelece o limite de 7 anos. O resultado da precariedade dos veículos é conhecido dos passageiros: quebras freqüentes e muitos acidentes. (Págs. 1 e 26)



Turismo: Ministro vai ao Senado em meio a novas denúncias (Págs. 1 e 2)



Assassinato de juíza perto de ser elucidado

Depois de o Comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro admitir a participação de PMs na morte da juíza Patrícia Acioli, fuzilada no dia 12 deste mês com 21 tiros, o Conselho Nacional de Justiça informa ter pistas sobre a autoria do crime e promete revelar informações em breve. (Págs. 1 e 10)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico



Manchete: Bancos têm US$ 1,6 trilhão de reservas em excesso nos EUA

Os bancos nos EUA já têm US$ 1,65 trilhão em reservas depositadas no Federal Reserve acima do valor mínimo exigido pela autoridade monetária. Por sua vez, grandes companhias acumulam enorme quantidade de ativos líquidos.


Desde outubro de 2008, as reservas obrigatórias (10% para os depósitos líquidos) e as excedentes dos bancos no Fed são remuneradas em apenas 0,25% ao ano. Patrick Artus, do banco francês Natixis, nota que o excesso de reservas dos bancos indica que a forte criação de liquidez pelo Fed não aumentou a distribuição de crédito no país. Principalmente porque há pouca demanda por financiamento imobiliário. (Pág. 1)


Consórcio com argentino leva aeroporto de RN

O consórcio Inframérica, formado pelo grupo Engevix e pela Argentina Corporación América, venceu o leilão de concessão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte. Depois de cerca de 90 lances, o consórcio ofereceu R$ 170 milhões pela outorga, com ágio de 228%.


O resultado foi a porta de entrada ao mercado brasileiro da Corporación América, que controla 33 aeroportos na Argentina, onde ganhou fama pelas dívidas milionárias, atrasos no pagamento de royalties, descumprimento de cronogramas de obras e duas grandes renegociações de contratos. Seu principal proprietário, o argentino de origem Armênia Eduardo Eurnekian, faz parte do seleto grupo de “empresários Kirchneristas”. (Págs. 1 e B1)


Moreira Alves critica ativismo do STF

Um dos mais longevos ministros do Supremo Tribunal Federal, onde atuou por 27 anos, José Carlos Moreira Alves sempre defendeu teses fortes que costumavam ser seguidas por seus pares. Uma delas era de que juízes não devem falar com a imprensa, só nos autos. Aos 78 anos, já aposentado, Moreira Alves rompeu o silêncio em entrevista ao Valor para dizer que o STF “está adotando uma posição mais política que antigamente”.


“Eu sempre disse que o mandado de injunção é um instituto que, na realidade, não tinha possibilidade de criar normas, era apenas um alerta que se dava ao Congresso para que ele criasse as normas”, disse. “Não diz lá (na Constituição) que se faça norma para substitui-lo (o Congresso) ou para atuar no mundo das leis”.

Sucedido há oito anos pelo ministro Joaquim Barbosa, relator do “mensalão”, Alves compara o caso ao julgamento do ex-presidente Fernando Collor. “Eram 140 volumes. Impossível de se ler tudo”. O problema que está de volta, afirma, é o de se decidir sobre aquilo que foi lido por terceiros”. (Págs. 1 e A12)


Santander discute multa bilionária

Um julgamento bilionário envolvendo o Banco Santander é acompanhado de perto por concorrentes, advogados e empresas dos mais diversos setores. A discussão que está na esfera do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), envolve uma autuação de R$ 4 bilhões aplicada à instituição pela Receita Federal em 2008. 


O Fisco questiona o valor do ágio de R$ 7 bilhões pago pelo Santander Espanha para adquirir o Banespa, em 2006. A Receita entende que o valor, por ser proveniente de investimento estrangeiro, não poderia ser utilizado no Brasil e que o ágio – justificado apenas pela rentabilidade futura do Banespa – não estaria correto. O ágio possibilitou ao banco pagar R$ 1,3 bilhão a menos de IR e CSLL. O julgamento, marcado para setembro, interessa às companhias que realizaram operações semelhantes e foram multadas pela Receita. Se o Santander for derrotado no Carf, ainda poderá recorrer à Justiça. (Págs. 1 e E1)


Líbia inspira os avanços contra Assad

A conquista da maior parte da capital da Líbia, Trípoli, por rebeldes marcou um avanço histórico para os movimentos revolucionários no Oriente Médio. Embora os revoltosos ainda enfrentem resistência, sua marcha será vista na região como uma lição de que nem mesmo a brutalidade desmedida do governo pode deter cidadãos cansados dos abusos de regimes autoritários. Isso é um mau presságio para o presidente da Síria, Bashar al-Assad, que tem bombardeado cidades rebeldes em seu país. Já surgem sinais de que a Líbia está inspirando os insurgentes que tentam derrubá-lo. (Págs. 1 e A9)



Importação sobe e pode vir ônibus chinês

Com um aumento de 39% nas compras feitas no exterior no primeiro semestre, a Samsung é agora a maior importadora de produtos manufaturados do país, à frente da Embraer e das montadoras de veículos. Benjamin Sicsu, vice-presidente da empresa coreana, diz que essa elevação da importação deve-se à falta de produção de componentes no Brasil. (Págs. 1, A2 e A3)



Polo naval, Rio Grande atrai megaprojeto imobiliário. (Págs. 1 e B9)



Consumidores e empresas se adaptam a juros baixo nos EUA (Págs. 1 e B11)



Nec planeja multiplicar por dez as vendas no Brasil, diz Yamamuro (Págs. 1 e B2)



Baixada Santista

Alvo de investimentos bilionários em razão da expansão portuária e da exploração de óleo e gás no pré-sal, a Baixada Santista vai demandar cerca de 59 mil novos profissionais até 2014, segundo o secretário de Assuntos Metropolitanos do Estado de São Paulo, Edson Aparecido. (Págs. 1 e A5)



Essence abre novos horizontes

A Essence, especializada em consultoria de TI e implementação de sistemas de gestão, passa a atuar em um novo segmentos: a produção de softwares para o setor de construção civil e incorporação. (Págs. 1 e B3)



Efacec reforça atuação no país

De olho nos grandes projetos de energia no Norte do Brasil, o grupo de engenharia português Efacec abre escritório em Manaus e planeja a substituição da fábrica de transformadores do Recife por uma nova unidade em Suape. (Págs. 1 e B9)



Fôlego curto para o fumo

Maior exportador mundial de fumo, o Brasil deve recuperar neste ano parte do mercado externo perdido em 2010 com a queda da safra e a alta das cotações do produto. Mas os preços ao produtor recuaram em média 22,4% (Págs. 1 e B14)



Idéias

Delfim Netto


A ameaça à economia é a possibilidade de a morna resposta às políticas descoordenadas reduzir o crescimento por anos. (Págs. 1 e A2)


Ideias

Ivandro Ristum Trevelim


Alguns bilhões em investimentos estão suspensos com a incerteza jurídica a respeito da compra de terras por estrangeiros. (Págs. 1 e A10)


------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas



Manchete: Ditadura em escombros


Uma das mais longas ditaduras da história, o governo do coronel Muamar Kadafi está em vias de acabar depois de 42 anos. Ontem, rebeldes do movimento de oposição já controlavam quase toda a capital, Trípoli, à exceção de alguns bolsões de resistência. Mas o paradeiro de Kadafi era desconhecido. O regime, contudo, agonizava. A própria Liga Árabe declarou apoio aos rebeldes, cujo governo de transição foi reconhecido por dezenas de países, inclusive o vizinho Egito e os Estados Unidos, que pediram a renúncia formal de Kadafi. A preocupação internacional passou a ser com a estabilização da Líbia, dona de uma das 10 maiores reservas de petróleo. A ONU convocou reunião de cúpula de emergência para discutir a questão. 


Brasil estuda reconhecer novo governo

Ditador camaleão usou de mark ao Islã 

Analistas temem futuro de instabilidade (Págs 1,26 a 29)


Cigarro faz mal também ao bolso

Aumento da carga tributária sobe o produto vai elevar o preço mínimo do maço para R$ 8 a partir de dezembro (Págs. 1 e 21)


Justiça libera supersalários

TRF – 1 cassa liminar que cortava ganhos de servidores do Senado acima do teto de R$ 26.713 para o funcionalismo. (Págs. 1 e 4)

Gás gratuito para carro adaptado (Págs. 1 e 24)



Mais proteção aos pedestres (Págs. 1 e 31)



Planos de Saúde: Fisioterapeutas param em protesto contra operadoras (Págs. 1 e 20)



Pesquisa: Chineses dizem que vírus pode causar hipertensão (Págs. 1 e 32)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Triplo homicídio é ligado ao tráfico

Assassinato de dois homens e uma mulher em um casarão à beira-mar do Janga deve ter relação com drogas, segundo a polícia. Casa não foi arrombada e foram disparados mais de 40 tiros no local. (Págs. 1 e 2)



Filho de Kadafi desmente rebeldes e se diz no poder

Saif al-Islam, que os rebeldes afirmavam ter capturado, reapareceu ontem à noite em Trípoli e disse que as tropas leais a seu pai mantêm o controle da capital Líbia. Um golpe na credibilidade dos opositores. (Págs. 1 e 7)



Cigarro vai ficar 20% mais caro em dezembro

Quanto mais barato for o maço, maior será o IPI. Carteira mais em conta custará R$ 3. (Págs. 1 e 2)


Ameaçada, juíza ganha carro blindado

Em decisão inédita, CNJ entregou veículo que pertenceu a um traficante a Inês Albuquerque da Vara de Jaboatão. (Págs. 1 e 3)


Previdência vai refazer lista da revisão do teto

Quem ficou fora da relação deve esperar até o próximo mês. INSS vai avaliar os benefícios caso a caso. (Págs. 1)



Nova polêmica com regras para os celulares (Págs. 1 e 4)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Incerteza na Líbia

Muamar Kadafi sumido, anúncios falsos sobre um de seus filhos, grupos rebeldes divididos e informações desencontradas fazem o país afundar na dúvida em meio à iminente queda do ditador. 

Quartel pró-Kadafi vira bunker

Al-Qaeda pode ocupar espaços

Quem são os novos lideres

As opções de exílio para o ditador

Foto Legenda: Mulheres gritam palavras anti-Kadafi em Benghazi, enquanto em Trípoli força pró-ditador resistiam a ataques rebeldes. (Págs. 1, 4 a 12)

Mal-estar: TJ determina a Tarso corte de 155 CCs. (Págs. 1 e 14)



Assalto a juiz: Médico que foi preso fala a ZH (Págs. 1 e 43)



O primeiro: Governo inicia privatização de aeroportos (Págs. 1 e 22)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Governo privatiza aeroporto para a Copa de 2014 com ágio de 228%

Após 14 anos em obras, complexo de São Gonçalo do Amarante vai receber investimentos de R$ 650 milhões da iniciativa privada. 


O leilão do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, primeiro a ser privatizado no país, surpreendeu. O suposto baixo interesse dos investidores alardeado na semana passada veio abaixo quando dois consórcios se digladiaram, lance a lance, para ficar com o negócio. O Consórcio Inframérica, formado pela Infravix (construtora Engevix) e pela argentina Corporación América, ganhou a disputa com um lance de R$ 170 milhões, ágio de 228,82% em relação à oferta mínima de R$ 51,7 milhões. A expectativa é de que a unidade fique pronta para a Copa de 2014. A Anac prevê para dezembro a licitação de outros três aeroportos: Brasília, Guarulhos e Viracopos. (Págs. 1 e 24)

Feira Broadcast & Cable traz inovações de mídia para a Copa no Brasil de 2014 (Págs 1 e 24)

Expectativa com novo governo na Líbia provoca queda no preço do petróleo em Londres

Perspectiva é de que a produção líbia de petróleo seja impulsionada com a saída do poder do líder Muammar Kadafi – desaparecido desde o fim de semana -, o que já apontou para queda do preço do barril do tipo Brent negociado na bolsa londrina. Cenário, contudo, pode ser prejudicial ao pré-sal brasileiro. (Págs. 1 e 4)



O que fez a Philip Morris ganhar da Souza Cruz

Mudança na tributação anunciada ontem pelo governo federal fará com que os cigarros mais populares, como o Derby, da Souza Cruz, fiquem mais caros. (Págs. 1 e 18)



Em meio à crise, fusões e aquisições continuam em alta

Duas semanas após agravamento da situação europeia, que derrubou bolsas mundo afora, o apetite de investidores por aquisições é grande e bancos recebem propostas de internacionalização. (Págs. 1 e 30)



Grandes empresas valorizam os salários dos trainees, que já superam os R$ 5 mil, para reduzir os efeitos da rotatividade de funcionários. (Págs. 1 e 26)



Poupança perde fôlego mas se mantém no radar do investidor

Captação da caderneta é positiva no ano, mas em ritmo 54% menor que no ano passado. (Págs. 1 e 32)

------------------------------------------------------------------------------------

Comentários