Em Cabo Frio, sítio arqueológico é descoberto onde será construído shopping

Escavando a terra, pesquisadores tiveram uma grande surpresa: encontraram uma ossada humana de mais de 2.000 anos
do Bom dia Rio
Um sítio arqueológico foi descoberto no bairro Novo Portinho, em Cabo Frio, na área onde deve ser construído um shopping. Escavando a terra, pesquisadores tiveram uma surpresa: encontraram uma ossada humana de mais de 2.000 anos.
As escavações já revelaram algumas surpresas, entre elas um esqueleto, que pelo tamanho da cavidade dos olhos e da bacia, deve ter sido de uma mulher. Há sinais de flechas no peito e na mão, talvez a causa da morte. E o melhor: o esqueleto está quase completo, algo muito difícil porque as ossadas encontradas em sambaquis são pré-históricas. A estimativa é que a ossada tenha entre 2.000 e 2.500 anos.


O trabalho é delicado, minucioso e exige paciência. A terra tem que ser removida com cuidado e depois ainda é peneirada para recolher objetos pequenos que tenham escapado aos olhos atentos e treinados das arqueólogas.Durante as escavações também foram encontrados pedaços de flechas, de equipamentos de trabalho e uma agulha de osso, um instrumento que não era comum para os Sambaqueiros. Ela, junto com outros fragmentos achados no local, comprovam a convivência longa e pacífica com outro grupo de nativos vindos do centro-oeste do país: os agricultores Ceramistas da tradição Una.
A pesquisa está sendo acompanhada e registrada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). As gravações vão virar um documentário sobre os Sambaquis. As escavações ocorrem apenas em 10% do sítio arqueológico. Os outros 90% estão protegidos pelo Iphan. O material recolhido vai ser levado para o Laboratório de Arqueologia Brasileira. De acordo com a assessoria de comunicação, o projeto do shopping está em fase de licença de instalação, que é dada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).
Há duas semanas, uma outra ossada humana tinha sido encontrada em Saquarema. O proprietário de uma casa fazia reparos no terreno quando encontrou todo o material no quintal. Segundo especialistas, a área deveria ter sido um Sambaqui, local de moradia temporária de comunidades muito antigas. A ossada tem cerca de 4.000 anos. Técnicos do Museu Nacional e do Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan) fazem a análise dos ossos.

Comentários