Justiça condena Ronaldo Fenômeno a indenizar jornalista agredido


O ex-jogador Ronaldo Nazário foi condenado pela Justiça do Rio de Janeiro a pagar indenização de R$ 10 mil para o jornalista e fotógrafo José Aveline Neto, editor da Gool, revista esportiva do Rio Grande do Sul.
Durante a Copa do Mundo de 2002, Fenômeno, como é conhecido o jogador Ronaldo, pediu a seguranças que tirassem a câmera das mãos de Aveline Neto, que pretendia tirar fotos dos jogadores em uma festa na Ilha de Jeju, na Coreia do Sul, após a goleada de 4 a 0 da seleção brasileira sobre a China.
Procurado pelo Comunique-se, Aveline Neto diz que o valor da indenização é “ridículo”. “É uma humilhação receber isso, não compensa o que eu perdi. Não sou paparazzi. Eu estava fazendo uma foto do Ronaldinho Gaúcho, que é meu conterrâneo, e tive a máquina quebrada”, afirma.
Aveline Neto afirma que não misturou o incidente com a cobertura da Copa, sendo isento na publicação da revista que comemorava o pentacampeonato brasileiro. “Nesse mesmo ano, apesar desse problema, eu tive a dignidade de fazer uma capa com o Ronaldo na capa, segurando a taça.”


Edição comemorativa do pentacaponato da seleção brasileira da Revista Goool. (Imagem: Reprodução Revista Goool)

O jornalista gaúcho disse não acompanhar o caso de perto, mas que a partir de agora se manterá informado.
A decisão foi tomada no fim da semana passada pela juíza Mariana Moreira Tangari Baptista, da 2ª Vara Cível do Foro Regional da Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio. Como a sentença foi em primeira instância, ainda cabe recurso ao ex-jogador do Corinthians.

Comentários