Médicos buscam voluntários para vacina contra Aids


Objetivo é recrutar mais 20 pessoas para estudo


Os usuários do metrô de São Paulo poderão se inscrever para participar como voluntários de uma pesquisa que irá testar duas vacinas preventivas contra o HIV. O estudo das vacinas, desenvolvido em parceria com a Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), precisa de mais 20 voluntários. Até o momento, cinco pessoas foram recrutadas. 
Nesta quarta-feira, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo dará plantão na estação República para informar a população sobre a importância da pesquisa. A ação, que acontecerá das 8h às 12h, e também tem como objetivo sensibilizar e informar a população sobre a importância do teste precoce anti-HIV, assim como os locais onde podem ser realizados gratuitamente na rede pública de saúde. 



Artur Kalichman, coordenador-adjunto do CRT DST/Aids e responsável pela Unidade de Pesquisa de Vacinas, diz que “é importante ressaltar que as partes do vírus utilizadas durante os experimentos com os voluntários são sintéticas e inativas”. 

– Por isso, não há chances de contaminação. 

A pesquisa é conduzida pela Unidade de Pesquisa de Vacinas Anti-HIV do CRT para a rede internacional de pesquisa de vacinas HIV Vaccine Trials Network (HVTN), sediada nos EUA e composta por instituições líderes em pesquisa em 27 cidades de quatro continentes. 

O objetivo desse teste ainda não é verificar se a vacina funciona. Como se trata de um estudo em fase 1, a ideia é saber se o produto é seguro e também coletar informações para o desenvolvimento de futuras vacinas contra a doença. 

Os interessados em colaborar com o estudo devem responder a questionários sobre práticas de exposição ao HIV e também passam por avaliação médica, que inclui a coleta de amostras de sangue e de urina. 

Durante a pesquisa, os recrutados terão à disposição uma equipe de especialistas do CRT para suporte médico e psicológico. 

Homens ou mulheres, independente da opção sexual, podem participar da pesquisa.

Entre os critérios necessários estão ter entre 18 e 50 anos de idade, ser saudável e não infectado pelo HIV, residir na cidade de São Paulo ou na região metropolitana e, no caso dos homens, ser circuncidado – isso acontece porque, em 2007, surgiram suspeitas de que uma vacina produzida pela Merck e que também tinha esse vírus em sua composição poderia, em vez de proteger contra a doença, aumentar o risco de infecção, especialmente em homens não circuncidados e que tiveram contato com o Adenovírus 5. 

Mulheres grávidas ou amamentando não podem participar. 

Interessados em participar também podem entrar em contato com a Unidade de Pesquisa de Vacinas Anti-HIV: (11) 5087-9915, e-mail vacinas@crt.saude.sp.gov.br ou pessoalmente no Centro de Referência em DST/Aids, na Rua Santa Cruz, 81, Vila Mariana, próximo ao metrô Santa Cruz.

Comentários