Operários da obra do Maracanã se reúnem para decidir se retomam a greve

Além das reivindicações, funcionários também querem receber os 19 dias paralisados
André Paino, do R7
Obras MaracanãBia Alvez / Agência Estado
Operários querem receber os 19 dias paralisados

Os funcionários da obra do Maracanã, que retomaram o trabalho na segunda-feira (19), após decisão do TRT-RJ (Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro), irão se reunir nesta terça-feira (20) com representantes do Consórcio Maracanã 2014 para discutir se as reivindicações abordadas pelos funcionários serão atendidas mesmo com o fim da greve. 




De acordo com Romildo Vieira, um dos líderes da comissão que representa os funcionários da obra, a decisão da retomada da greve somente irá acontecer se o consórcio não atender às reivindicações, que desta vez inclui a remuneração dos 19 dias paralisados.

- Além do aumento do valor da cesta básica e do plano de saúde individual nós queremos também a garantia de que esses 19 dias paralisados sejam remunerados. Se não formos atendidos, iremos retomar a greve, mas desta vez de uma forma legal.

O TRT-RJ considerou a greve abusiva uma vez que não houve convocação de assembleia geral para deliberar sobre a paralisação dos serviços, além de considerar que a greve não foi comunicada ao Consórcio Maracanã Rio 2014 com a antecedência de 48 horas. O tribunal considerou também que as partes não esgotaram a negociação coletiva e não houve um acordo no mês de agosto, que deveria prever a formação de subcomissões de trabalhadores, destinadas a analisar as demais reivindicações da categoria.

Comentários