Professores em greve se acorrentam na Assembleia Legislativa de Minas Gerais


Sindicato exige reajuste compatível com o determinado pela Lei do PisoProfessores acorrentadosTaís Ferreira/Sind-UTE/MG

Professores se acorrentaram nesta terça-feira (27) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais para protestar contra a falta de abertura do governo do Estado nas negociações por um reajuste salarial para a categoria. Os profissionais da educação em Minas Gerais já estão paralizados há cerca de 100 dias. O governo propôs remuneração de R$ 712,20 para professores que trabalham 24 horas semanais. Mas, para o Sindu-UTE (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais), este valor desrespeita a determinação federal (Lei do Piso) que garante salário de R$ 1.187 aos profissionais com carga horária de 40 horas semanais.

Comentários