PT volta a discutir marco regulatório da imprensa em congresso do partido





Parte da cúpula do PT que participa do 4° congresso do partido, iniciado na manhã de ontem (2) e que terminará neste domingo (4), revela que um dos temas discutidos será o marco regulatório da imprensa. O evento acontece uma semana após a revista Veja fazer uma reportagem a respeito da influência exercida no atual governo pelo ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, definido pela publicação como “o poderoso chefão”, o que desagradou integrantes da legenda.


"Desde o último final de semana, nosso país, forçosamente, passou a ter a necessidade de discutir os limites de iniciativas de órgãos de imprensa danosos à imagem de pessoas públicas, a partir de acusações vazias, falaciosas, lançadas a partir de dados que nada expressam", argumentou o senador Humberto Costa (PE), líder do PT na Casa. O discurso foi feito na tarde da última segunda-feira (29) no plenário do Senado, informa a Folha.com.



Sobre a reportagem da Veja, petistas afirmam que o repórter Gustavo Ribeiro cometeu crime durante a apuração da notícia, tirando fotos de forma ilegal de encontros de Dirceu com membros da base aliada de Dilma no hotel Naoum Plaza, em Brasília, além de tentar invadir o quarto em que o ex-ministro estava hospedado, o que motivou o político a registrar um boletim de ocorrência contra o jornalista. A direção da revista não se pronunciou a respeito do B.O.

O material produzido pelo veículo da Editora Abril fez outros filiados ao PT se posicionarem a favor do ex-ministro - que teve os direitos políticos cassados em 2005, após o escândalo de corrupção conhecido por “Mensalão” - e voltaram com a discussão da regulamentação da mídia no Brasil, tema que era abordado pelo ex-ministro chefe de Comunicação Social Franklin Martins. “Na mídia impressa estamos com um vazio legal, o que é um problema”, disse o ex-ministro, durante evento realizado em dezembro do ano passado.

Concordando com a postura de Martins, o deputado federal pelo Paraná e secretário de comunicação do PT, André Vargas, disse, em entrevista ao Estadão, que a imprensa precisa ter “alguma regulamentação” e confirmou que o tema será debatido no congresso deste fim de semana. “É uma das tarefas do PT ter iniciativa do debate do marco regulatório”. O parlamentar, no entanto, disse que o assunto “não tem nada de censura”.


Secretário de comunicação do PT, André Vargas defende regulamentação
da imprensa. (Imagem: Antônio Cruz/ABr)


Condenação veemente
A respeito do marco regulatório da imprensa ser assunto do congresso do PT, o diretor executivo da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Ricardo Pedreira, afirmou que a entidade não tem o que comentar sobre assuntos internos de um partido, mas ressaltou não apoiar qualquer decisão que interfira no trabalho dos jornalistas. “A ANJ, naturalmente, condena de forma veemente qualquer atitude que visa controlar o conteúdo dos meios de comunicação”, disse ao Comunique-se.

Tema de congresso de partido não é relevante e não interfere no futuro da imprensa, segundo análise de Dora Kramer, colunista de política do Estadão. Ela, entretanto, avaliou que o PT tem muito mais assuntos importantes para debater numa reunião. “O partido perde a oportunidade de discutir o que realmente interessa, como a corrupção. É a atitude de quem não suporta ser criticado pela mídia e que preferiria um jornalismo chapa branca”, declarou.

Comentários