PT vota a favor de novo imposto para a saúde


Câmara derrubou tributo ao aprovar medida que orienta gastos dos governos
Priscilla Mendes
O PT foi o único partido da Câmara dos Deputados que orientou seus membros a votarem a favor da criação de um novo imposto para financiar a saúde, chamada CSS (Contribuição Social da Saúde), durante sessão na noite desta quarta-feira (21). 
Por 355 votos a 76, a Casa rejeitou a volta do “imposto do cheque”, que seria aplicado nos moldes da extinta CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), e aprovou a regulamentação da Emenda 29.

O texto, que define os porcentuais que a União, os Estados e os municípios devem investir na área da saúde, vai agora para o Senado.
Dos 80 petistas que participaram da sessão, 71 votaram pela criação do tributo, três se abstiveram e seis foram contrários.
Os demais votos favoráveis à CSS vieram de dois deputados do PTB, dois do PMDB e um do PSB. A liderança do governo na Casa liberou a bancada aliada para votar como quisesse.


O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira, disse que orientou seus pares dessa forma para não “contradizer” o discurso que o próprio partido e o governo sustentavam na época em que a CSS foi criada, em 2008. 

De lá para cá, o projeto estava parado aguardando a votação de hoje, que retirou a base de cálculo da CSS e, na prática, inviabilizou sua cobrança.

- O próprio parlamento terá de se debruçar no momento seguinte a essa votação para encontrar essas fontes [de financiamento da saúde], então não podemos ser incoerentes. [...] Todo parlamento brasileiro votou a criação da CSS, não seria correto agora nos contradizermos.


Como alternativa para financiar a saúde, Teixeira defendeu a tributação de quem tem grandes fortunas, de modo a desonerar os trabalhadores.

- Quem vem aqui e diz que o povo não quer mais impostos, está indo na contramão do mundo. O Obama mandou um projeto de lei ao Congresso americano instituindo uma taxação sobre os ricos. [...] Nós não podemos nos acovardar e negar a saúde ao povo brasileiro.

O líder do PPS, Rubens Bueno, discorda. Ele disse que o PT “mentiu” e criticou a má aplicação da verba pública. 

- O resultado indicou que o governo reiteradamente mentiu. Ou seja, a bancada do PT votou integralmente para a criação de um novo imposto. Quem menos aplica em saúde é a União. Os Estados e municípios vêm aumentando progressivamente o valor nos últimos dez anos.

Comentários

Clovis Batebola disse…
Tirando o conteúdo panfletário direitista da matéria da sra Priscilla,

é maravilhosa a ideia de taxar na forma de lei a FORTUNA dos que mais LUCRAM COM a pobreza do povo e com a inoperância do SUS.

A ELITE>

Saudações PTstas