Reunião sobre os royalties do petróleo termina em impasse

Por: Berenice Seara
Terminou há pouco a reunião, no Ministério da Fazenda, sobre a divisão dos royalties do petróleo. Os ministros Guido Mantega e Ideli Salvatti, senadores e deputados de vários estados, tentaram chegar a um acordo.
Os ministros, representando a União, anunciaram que podiam abrir mão de R$ 1,8 bilhões de sua arrecadação, para promover o entendimento entre os estados produtores e não produtores. Mesmo assim, a conversa não avançou e chegou, em alguns momentos, a uma discussão entre os parlamentares.
O deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) disse que, se o Rio não ceder, a Câmara derruba no voto os direitos dos estados produtores. Alessandro Molon (PT-RJ) rebateu. "Não são apenas os parlamentares do Rio, existe uma coisa chamada Constituição. Contra a Constituição não há maioria".
Com o impasse, a bola volta ao Congresso - a votação da questão, no Senado, está prevista para 5 de outubro.
A bancada do Rio já concluiu que é melhor perder o no voto e questionar a decisão no Supremo Tribunal Federal, do que ceder à pressão dos estados não produtores.

Comentários