Rio entra em alerta para dengue nesta quinta-feira

Prefeitura anunciou medidas para tentar evitar mortes em 2012
Felipe de Oliveira
Paulo Alvadia / Agência O Dia
http://i2.r7.com/fott.jpg
Prefeito anunciou que irá dobrar número de agentes de vigilância em saúde



O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), anunciou que, a partir desta quinta-feira (1º), a cidade entra em estado de alerta para dengue. A previsão, feita durante o anúncio do Plano de Ação de Combate a Dengue, é de que a capital enfrente em 2012 uma das piores epidemias da história. Neste ano, 43 pessoas morreram vítimas da dengue na cidade.

A prefeitura vai dobrar o número de vigilantes de saúde, contratando 1.700 funcionários, e comprará novos equipamentos (o efetivo total passará a ser de 40 carros de fumacê e de 60 equipamentos de pulverização portáteis para combater o mosquito na fase adulta).
Entretanto, segundo Paes, mesmo com essa mobilização, o verão de 2012 deve enfrentar a pior epidemia de dengue da história do Rio. A previsão tem base em estudos da Secretaria Municipal de Saúde.
- Lamento informar, mas teremos uma das maiores epidemias de dengue da história. Todos os dados apontam para que seja a maior que o Rio já enfrentou, até mesmo com a chegada de novos tipos. E para evitar que as pessoas morram vamos tentar colocar em prática várias ações.
A prefeitura promete instalar 30 polos de hidratação em diversos pontos da cidade - dez devem funcionar 24 horas por dia e 20 vão operar durante 12 horas. Para o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann, esses locais podem ajudar no atendimento e tratamento dos casos.
- Esses polos serão espalhados por diversos pontos da cidade, possibilitando assim um atendimento com apoio das Clínicas da Família e dos agentes de saúde, tratando da melhor forma os pacientes com dengue. Mas, volto a dizer que cada cidadão precisa contribuir e ajudar a combater o foco do mosquito.

O plano municipal de combate prevê o treinamento de cerca de 4.000 funcionários da prefeitura que auxiliarão no diagnóstico da doença, possibilitando que o paciente com dengue seja tratado da maneira mais adequada.
- Estamos realizando um treinamento em cerca de 4.000 funcionários, entre médicos, agentes de saúde e enfermeiros. Todos estão preparados para detectar o paciente com suspeita de dengue e encaminhar para o melhor tratamento.

  dengue-repelente-caseiro

Comentários