Secretário de Segurança está reunido para definir novo comandante da PM

Encontro acontece a portas fechadas; três nomes estariam sendo analisados
Divulgação / Polícia Militar
mário sérgio
Comandante-geral da PM pediu exoneração do cargo



A assessoria da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro informou às 9h56 desta quinta-feira (29), que o secretário José Mariano Beltrame estava reunido nesta manhã com a cúpula da secretaria para decidir quem vai assumir o cargo de comandante-geral da Polícia Militar do Rio. O coronel Mário Sérgio Duarte pediu demissão na quarta-feira (28).
Segundo a assessoria, a reunião acontece desde as 7h a portas fechadas. Apesar de a secretaria ainda não ter informado o nome do novo comandante da corporação, comenta-se nos bastidores do QG (Quartel General) da PM que haveria uma lista com três indicações com os nomes dos coronéis Pinheiro Neto, Ricardo Quemento e Aristeu Leonardo.


Coronel Mário Sérgio pede exoneração do comando-geral da PM

A Secretaria de Segurança divulgou no fim da noite de quarta-feira o conteúdo do e-mail enviado pelo coronel Duarte, pedindo sua exoneração do comando da PM, ao secretário Beltrame. 

Na mensagem, que foi encaminhada a partir do telefone celular, o ex-comandante-geral da PM diz que o motivo pelo pedido de demissão é “não deixar espaço para dúvidas quanto à responsabilidade no processo de escolha dos Comandantes, Chefes e Diretores da Corporação”. Além disso, ele afirma que quer preservar de acusações injustas às pessoas que a ele confiaram o cargo. 

O pedido de exoneração vem um dia após a prisão do tenente-coronel Cláudio Oliveira, suspeito de ser o mentor da morte da juíza Patrícia Acioli, assassinada com 21 tiros no dia 11 de agosto. Um dos PMs presos, suspeito de envolvimento no caso, aceitou cooperar com as investigações da DH (Divisão de Homicídios) da Polícia Civil e apontou o oficial como responsável pela morte. 

Na carta, o coronel Duarte diz que a escolha do tenente-coronel Oliveira para comandar o Batalhão de São Gonaçalo (7º BPM) foi uma opção dele. 

Beltrame lamentou a saída do coronel do posto de comando da PM, mas julgou procedente o pedido feito por ele, que reconheceu o desgaste causado pela suspeita de envolvimento de um oficial da corporação no caso da morte da juíza. 

Atualmente, o coronel encontrava-se de licença médica. Na última segunda-feira (26), ele passou por uma cirurgia para a retirada de um nódulo na próstata, no Hospital da Polícia Militar, na zona norte da capital fluminense, e ficaria afastado por pelo menos 30 dias. 

Segundo o comunicado divulgado pela Secretaria de Segurança Pública, o nome do novo comandante-geral da PM será divulgado o mais breve possível.

Assista ao vídeo:

Comentários