Por usar Twitter no meio da prova, candidatos são desclassificados do Enem

Mais de 5 milhões de alunos realizam as provas neste fim de semana
Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram retirados das salas de aula em que estavam realizando a prova e desclassificados após serem flagrados por fiscais de sala utilizando o celular. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação que organiza a prova, os candidatos estavam acessando a rede social Twitter via telefone. Alguns chegaram a tirar fotos do caderno de provas.


O Inep não divulgou quantos e nem as identidades dos alunos que foram flagrados. Também não anunciou em que Estados o episódio ocorreu. O Enem está sendo aplicado em 2011 em 14 mil locais de prova a 5,3 milhões de estudantes.  
Segundo as regras do Enem, o uso de qualquer aparelho eletrônico é proibido e os aparelhos devem ser desligados e entregues aos aplicadores antes do início da prova. O exame teve início às 13h e termina às 18h30. Neste sábado, os participantes responderam a 90 questões de ciências humanas e da natureza. No domingo, as provas são de linguagens e matemática, além da redação.
Os primeiros estudantes que fizeram a prova do Enem na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), no Bairro Prado Velho, em Curitiba, começaram a deixar as salas por volta das 15 horas. "Achei que estava fácil", disse Daniela Guedes, de 18 anos. Ela quer entrar na Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Administração, curso para o qual já está aprovada nos vestibulares da própria PUC e da Universidade Positivo. Mesmo que não passe na federal, ela espera que a nota do Enem ajude a abater a mensalidade em outra faculdade. Apesar de não ter observado nenhum problema, ela acentuou que estava com medo. "É uma prova cansativa e fiquei com medo de ter que realizar tudo de novo", afirmou. No ano passado, erros de impressão no caderno de provas obrigaram o Ministério da Educação a submeter diversos alunos a novas provas.

REDAÇÃO ÉPOCA, COM AGÊNCIA BRASIL E AGÊNCIA ESTADO

Comentários